Bolsas da Europa fecham em alta após Trump estender trégua tarifária com China

Os mercados acionários da Europa fecharam em alta nesta segunda-feira, 25, à exceção de Madri, que finalizou o pregão estável, impulsionados pela decisão do presidente americano, Donald Trump, de estender o prazo da trégua tarifária acordada com a China diante do "substancial progresso" feito nas negociações entre os dois países até agora. O índice Stoxx-600 registrou ganho de 0,29%, a 372,29 pontos.

O índice CAC 40, de Paris, fechou em alta de 0,31%, a 5.231,85 pontos, enquanto o FTSE MIB, de Milão, avançou 0,86%, a 20.436,96 pontos. O PSI 20, da bolsa de Lisboa, subiu 0,01%, a 5.153,23 pontos, ao passo que o Ibex 35, em Madri, ficou estável, a 9.204,30 pontos.

Depois de as bolsas da Ásia fecharem em alta de mais de 5% após Trump decidir estender a trégua tarifária com a China, os mercados acionários europeus também festejaram. Nas palavras de Trump, as equipes de negociadores das duas potências fizeram "substancial progresso" na busca por um acordo, inclusive em "importantes questões" como transferência tecnológica e propriedade intelectual, dois dos principais impasses. Agora, uma reunião entre ele e o presidente chinês, Xi Jinping, será preparada.

Com o apetite por risco fortalecido, investidores deixaram em segundo plano o adiamento do voto de significado do Brexit, no Parlamento britânico. Para continuar as negociações, a primeira-ministra britânica, Theresa May, empurrou o prazo para a votação até 12 de março. Nesta terça, ela fará um pronunciamento na Casa dos Comuns para informar os parlamentares sobre o atual estágio da votação e deve apresentar uma proposta de emenda para definir os próximos passos da saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, afirmou que a alternativa "racional" para o Reino Unido neste momento é adiar a data de saída da UE, atualmente em 29 de março, já que "não há maioria para aprovar um acordo" do Brexit no Parlamento britânico. O FTSE 100, de Londres, registrou alta de 0,07%, a 7.183,74 pontos.

Em Frankfurt, o DAX avançou 0,42%, a 11.505,39 pontos. A ação da montadora BMW fechou em alta de 0,78%, mesmo após promotores da Alemanha multarem a empresa em 8,5 milhões de euros (cerca de US$ 9,66 milhões) por negligenciar a instalação de softwares defeituosos que levaram a emissões excessivas de diesel em mais de sete mil carros. Eles afirmaram, no entanto, não ter encontrado evidência de fraude, mas puniram a companhia pelo que chamaram de controle de qualidade insuficiente. (Com informações da Dow Jones Newswires)