Dólar cai com investidor dividido entre otimismo com reforma e crise política

O dólar está volátil no mercado doméstico nesta sexta-feira, 15, e, já intercalou sinais entre margens estreitas. Pouco antes do fechamento deste texto, voltou a recuar. Em relatório a clientes, a Correparti informa que a crise do PSL deve ofuscar o otimismo dos agentes locais com a largada da reforma da Previdência.

Investidores estão à espera de detalhes da proposta de reforma, após a definição na quinta-feira, 14, da idade mínima (62 mulheres e 65 homens) e do prazo de transição (12 anos). A proposta final da reforma deve ser assinada e enviada ao Congresso na próxima quarta-feira, 20, e poderá incluir a pretendida adoção de um sistema de capitalização e também os militares na reforma. Monitoram também a nova crise política no governo Bolsonaro.

A Polícia Federal está apurando suspeitas de desvios de recursos do Fundo Partidário destinados ao PSL por meio de candidaturas laranjas nas eleições de 2018. O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, presidiu o partido durante o período eleitoral. Mas congressistas do PSL aguardam que a iniciativa para debelar a crise parta do próprio presidente, que afirma não ter falado ainda com o ministro, que por sua vez diz que não vai pedir demissão.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em telefonema ao ministro da Economia, Paulo Guedes, alertou o governo que "se Bebianno cair, pode atrapalhar a condução da reforma no Congresso". Também o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), saiu em defesa do ministro.

Alcolumbre disse que o ministro não tinha "obrigação" de acompanhar "tantas candidaturas" no País. Para ele, no entanto, trata-se de problema de relação pessoal familiar, e o governo tem que decidir esse problema, que não foi criado pela Câmara e pelo Senado.

O deputado federal Delegado Valdir (líder do PSL), disse ao Broadcast Político (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) que o presidente não tem hoje uma base no Congresso para aprovar o projeto e declarou que, para garantir governabilidade a Bolsonaro, os parlamentares querem participação no governo com cargos e emendas. O PSL conta com 54 deputados federais e quatro senadores. Para aprovar uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC), como será a da Previdência, são necessários 308 votos.

No exterior, as bolsas em Nova York e as commodities ganharam impulso na manhã desta sexta, enquanto o dólar segue misto ante seus pares principais e moedas emergentes ligadas a commodities, após notícia de que Estados Unidos e China vão continuar suas negociações comerciais em Washington na próxima semana.

Segundo a mídia chinesa, autoridades de alto escalão de ambos os países tiveram "progresso" nas discussões dos dois últimos dias em Pequim, mas não o suficiente para fecharem um acordo que encerre a atual disputa comercial.

Às 10h07, o dólar à vista cedia 0,25%, a R$ 3,7104. O dólar futuro de março caía 0,36%, a R$ 3,7130.