Opep: produção da Vale deve cair 10%

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) previu ontem, em seu relatório mensal de produção, que a tragédia de Brumadinho levará a uma redução de "pelo menos" 10% da produção da Vale. Para o cartel, com sede em Viena, o acidente afetou uma das maiores operações da empresa brasileira. Por isso, diz a Opep o preço da tonelada do minério de ferro subiu 10,1% em janeiro, influenciado ainda pelo acidente em um dos portos de embarque da Rio Tinto na Austrália, responsável. "Brasil e Austrália são os maiores exportadores exportadores mundiais de minério de ferro", citou a Opep.

Ontem, os preços do minério de ferro no mercado à vista da China recuaram, 3,23% devolvendo os ganhos da véspera, ficando abaixo do patamar de US$ 90 por t. retomado há dois anos. Na segunda-feira, o minério teve grande valorização, devido à reabertura do mercado chinês após a semana do Ano Novo Lunar. Em 2019, o minério de ferro já acumula valorização de 20,51%. Além disso, no mês de fevereiro a alta é de 2,71%.

Petróleo

A Opep informou ainda que a produção brasileira de petróleo em dezembro em 2018 foi a maior desde junho de 2017. Frente a novembro, aumentou 99 mil barris por dia (bpd), para uma média de 2,67 milhões de bpd, um incremento de 54 mil bpd na comparação com dezembro de 2017, também a maior elevação nessa comparação ao longo de 2018.

O cartel destacou que os dados preliminares da produção de petróleo bruto mostram um crescimento adicional de 38 metros cúbicos por dia em janeiro de 2019, para uma média de 2,70 milhões de barris por dia. "A principal razão para esta produção extra foi o retorno da produção na Bacia de Campos.

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais