Ibovespa bate mínima abaixo dos 96 mil pontos com forte perda da Vale e Bradespar

O desastre provocado pelo rompimento de barragem da Vale em Brumadinho (MG) repercute fortemente na reabertura da Bolsa brasileira nesta segunda-feira, 28, após o feriado paulistano na sexta-feira, 25. Assim que a Vale ON e também a Bradespar ON saíram de um leilão de abertura, excepcionalmente, longo, o Ibovespa perdeu o nível dos 96 mil pontos e recuou quase 2% na mínima intraday. As duas ações perdiam cerca de 19% neste início de pregão, repercutindo a tragédia humana e ambiental.

No desastre com o rompimento de barragem da Samarco, em 5 de novembro de 2015, a maior repercussão negativa sobre a ação não foi imediata sobre a ação da Vale. Cerca de três meses depois do acidente, a ON chegou ao piso das cotações, em queda de mais de 50%. Um dia antes do acidente, a ação valia R$ 16,13. No dia 2 de fevereiro de 2016, encerrou o pregão a R$ 7,97. Desse dia até a quinta-feira passada (24/01/2019), quando encerrou a R$ 56,15, a alta acumulada era de mais de 604%.

No exterior, o minério de ferro teve alta relevante na China, com preocupações acerca da oferta de minério de ferro. Já o petróleo cai mais de 1%, enquanto os futuros de NY recuam cerca de 0,50%, assim como as bolsas da Europa.

O tom global é de cautela, visto que nesta segunda o mercado observa o fim do "shutdown" nos Estados Unidos, após mais de um mês de paralisação parcial, e com mais sinais de fraqueza na China e uma agenda semanal carregada.

Para analistas da Guide, o investidor também está atento à repercussão de outra notícia corporativa. A Embraer relatou que assinou o contrato principal de operação com a Boeing em aviação comercial. Também foi assinado o contrato de cooperação que contém os termos e condições para a criação da joint venture para promoção e desenvolvimento de novos mercados e aplicações para o avião cargueiro KC-390.

Na semana passada, a Associação dos Investidores Minoritários (Abradin) impetrou ação civil pública contra a empresa brasileira, pedindo a anulação dos atos do conselho que aprovaram a operação com a Boeing.

Do noticiário doméstico, os agentes do mercado aguardam novidades sobre a cirurgia do presidente Jair Bolsonaro na manhã desta segunda em São Paulo.

A semana é decisiva para o Planalto. É aguardada a apresentação da proposta do novo governo para a reforma da Previdência ao Congresso, que enfrentará eleições para as presidências das duas casas a partir da volta do recesso na sexta-feira.

No Senado, a disputa ainda experimenta grande incerteza. Por lá, o PSL vive uma fase de disputas internas, que são intensificadas pelas suspeitas envolvendo o filho do Presidente da República, o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Às 11h01, o Ibovespa caía 1,57% aos 96.146,22 pontos. Na mínima intraday, recuou 1,92% aos 95.806 pontos.

O calendário corporativo brasileiro nesta semana é recheado de balanços importantes. Nesta segunda-feira, tem os resultados da Cielo. Na quarta-feira, é o dia do Santander. Na quinta-feira, Bradesco.