Governo do México confia na ratificação de acordo com EUA e Canadá

O novo governo mexicano confia que os legisladores de México, Estados Unidos e Canadá vão ratificar o tratado que substitui o Acordo de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês), chamado de T-MEC no país.

A nova ministra de Economia, Graciela Márquez, disse em coletiva de imprensa nesta quinta-feira que "há um pouco de ruído e atritos" sobre a ratificação do tratado pelos Congressos dos três países.

Contudo, ela disse confiar que o processo será favorável, contando com o setor empresarial como parceiro.

"Temos nos empresários tanto dos Estados Unidos como do México grandes apoiadores da ratificação T-MEC", afirmou.

Os três países acordaram, neste ano, a renovação do Nafta, em vigor desde 1994, a pedido do presidente americano, Donald Trump.

Márquez também disse que defenderá o fim das tarifas impostas pelos Estados Unidos às importações de aço e alumínio no México e que já tem uma estratégia de negociação para isso.

"Nos leva a lançar uma estratégia para eliminar a 232 (seção que impõe a tarifa). Está pronta", disse.

A ministra acrescentou que o México "não é uma ameaça à segurança dos Estados Unidos na exportação de aço e alumínio".

Ela acrescentou que falou por telefone com o representante comercial americano, Robert Lighthizer, para tratar de questões da agenda bilateral, incluindo a proposta de eliminar a seção 232 e a ratificação do T-MEC.

"Somos deficitários, compramos mais aço e alumínio dos Estados Unidos do que vendemos", disse ela.

 

str/yug/yow/ll