Jornal do Brasil

Economia

Ibovespa tenta retomar alta com ajuda de Nova York

Jornal do Brasil

O principal índice da Bolsa brasileira iniciou a quinta-feira, 20, em alta, tentando recuperar as perdas da véspera após o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) contrariar algumas expectativas de que o juro do país poderia ficar inalterado em 2019.

Às 10h41, o Ibovespa subia 1,01%, aos 86.539,91 pontos, depois de renovar máximas, acompanhando a tentativa dos índices futuros de Nova York de também emplacar alta. Na Europa, contudo, as bolsas reagem ao Fed, já que estavam fechadas quando houve a decisão do BC dos EUA, assim como ocorreu na Ásia.

"A Bolsa brasileira já reagiu ao Fed e pode ser que tenha espaço para se recuperar", diz o economista Antônio Madeira, da MCM Consultores. Na quarta, o Ibovespa caiu 1,08%, fechando aos 85.673,52 pontos.

Contudo, a cautela pode prevalecer no mercado acionário brasileiro nessa reta final do ano e em meio ao quadro de dúvidas que permeiam a economia mundial.

"As incertezas aumentaram bastante. Pode ser que os ativos no Brasil sofram de novo. Prefiro ser cauteloso com essa possibilidade de alta do Ibovespa hoje", completa Madeira.

A despeito de o presidente do Fed, Jerome Powell, ter afirmado que a economia dos EUA tem se mostrado saudável e que esse cenário aponta para a continuidade das elevações das taxas de juros, economistas estão receosos quanto ao desempenho da economia global, em especial a norte-americana. O Fed acredita que deve haver duas altas de juros no próximo ano, contra quatro altas em 2018.

As preocupações com a economia dos EUA afetam os contratos futuros de petróleo, que caem, podendo reduzir a chance de retomada do Ibovespa nesta quinta. Os papéis da Petrobras reagem em baixa: PN (-1,08%) e ON (-1,29%).