Jornal do Brasil

Economia

Neoenergia leva também o Lote 2, ao ofertar lance com deságio de 46,97%

Jornal do Brasil

A Neoenergia saiu vitoriosa de sua segunda disputa no leilão de transmissão que acontece nesta quinta-feira, 20, na sede da B3, em São Paulo. Após levar o primeiro e maior lote, a companhia conquistou o lote 2, ao se propor a receber uma Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 117 milhões, para construir e operar a concessão.

O montante corresponde a um deságio de 46,97% em relação à RAP máxima estabelecida para o empreendimento, de R$ 220.651.716,00.

A empresa superou outras cinco ofertas, incluindo de grupos como State Grid, Equatorial Energia, Taesa, Argo Engenharia e Consórcio Olympus VII, liderado pela Alupar.

O lote 2 é composto por duas linhas de transmissão e duas subestações, a serem construídas no Rio de Janeiro, somando 656 quilômetros de extensão.

O empreendimento exigirá investimentos de R$ 1,331 bilhão e deve gerar 2.662 empregos diretos, segundo estimativas da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A agência explica que o projeto deve propiciar a expansão do sistema de transmissão para escoamento do potencial termelétrico dos estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo. As obras têm prazo de 60 meses para serem construídas.

Um total de 38 empresas e consórcios disputam o leilão de transmissão, conforme documento disponibilizado pela Aneel.

São ofertados no leilão desta quinta-feira 16 lotes de empreendimentos, com um total de 7.152 quilômetros de linhas de transmissão além de subestações com capacidade de transformação de 14.819 mega-volt-amperes (MVA) em 13 Estados do País (Amazonas, Amapá, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins).