Jornal do Brasil

Economia

China mantém juros de contratos de recompra reversa e cria nova linha de crédito

Jornal do Brasil

O Banco do Povo da China (PBoC, o BC chinês) informou que injetou hoje 150 bilhões de yuans (US$ 21,75 bilhões) no mercado financeiro por meio de contratos de recompra reversa, de forma a compensar uma retirada de liquidez relacionada a pagamentos por emissão de bônus do governo.

O PBoC ofereceu 120 bilhões de yuans em contratos de sete dias a uma taxa de juros de 2,55% e mais 30 bilhões de yuans em contratos de 14 dias à taxa de 2,7%. As taxas ficaram inalteradas em relação às de operações anteriores.

Este foi o quarto dia consecutivo em que o BC chinês injetou liquidez no mercado através de contratos de recompra reversa, após ficar 36 dias úteis sem fazer esse tipo de operação, o período mais longo já registrado.

O PBoC também anunciou que irá criar uma linha de crédito de médio prazo direcionada, uma nova ferramenta monetária que oferecerá financiamento mais barato e possivelmente mais longo aos bancos do país, com o objetivo de encorajar a concessão de mais empréstimos a pequenas empresas do setor privado.

A decisão veio horas depois de o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) elevar juros pela quarta vez este ano. Economistas dizem que a China precisa relaxar mais sua política monetária para conter a desaceleração de sua economia. Fonte: Dow Jones Newswires.