Jornal do Brasil

Economia

China homenageia seus magnatas e Fórum de Davos

Jornal do Brasil

O governo da China prestou uma homenagem, nesta terça-feira (18), a 110 personalidades chinesas e estrangeiras por sua contribuição para as reformas econômicas empreendidas nos últimos 40 anos.

Nessa lista estão bilionários e o fundador do Fórum de Davos, símbolo do capitalismo mundial.

Em um encontro no Grande Salão do Povo de Pequim, o Partido Comunista Chinês (PCC) celebrou com grande pompa o 40º aniversário das reformas que transformaram a China na segunda potência econômica mundial.

As personalidades homenageadas se sentaram em uma tribuna de honra, a poucos metros do presidente chinês, Xi Jinping.

Entre os 100 chineses premiados por serem "pioneiros da reforma", havia empresários do setor de Internet na China, como Jack Ma, o homem mais rico do país e presidente do gigante do comércio eletrônico Alibaba, Pony Ma, fundador do grupo Tencent, e Robin Li, criador da ferramenta de busca Baidu.

O gigante asiático é o país no mundo que conta com o maior número de ricos com uma fortuna superior a 1 bilhão de dólares, segundo a Hurun Report, uma empresa de comunicação que já contabilizou em seu ranking 620 multimilionários.

Também foram premiadas personalidades de outros setores, como um astronauta, cientistas da indústria militar, um defensor do meio ambiente e vários atletas, como a ex-estrela da NBA Yao Ming.

Dez estrangeiros foram agraciados com uma Medalha da Amizade para a Reforma da China.

Entre eles, estava Klaus Schwab, fundador do Fórum Econômico Mundial (WEF) de Davos (Suíça), o grande encontro das elites econômicas e políticas mundiais.

Schwab, de nacionalidade alemã, foi elogiado por sua promoção "da cooperação econômica com a China".

Na edição de 2017 de Davos, o presidente Xi defendeu a globalização e o livre-comércio em um discurso considerado uma resposta ao protecionismo defendido pelo presidente americano, Donald Trump.

 

ehl/bar/lth/eb/pc/tt