Jornal do Brasil

Economia

Dólar cai com realização de lucros e antes de leilão de linha

Jornal do Brasil

Após cinco altas acumuladas em 2,11%, o mercado de câmbio opera o dólar em queda ante o real, enquanto o Ibovespa futuro sobe. Esses ajustes são induzidos pela recuperação nas bolsas europeias e futuros de Nova York, após sinais de andamento das negociações comerciais entre os EUA e a China, paralelamente ao dólar mais fraco ante divisas principais e algumas emergentes e ligadas a commodities.

O petróleo está volátil nesta terça-feira, 11, mas, poro volta das 9h30, subia, favorecendo ainda os ativos americanos. Pesa também no câmbio a perspectiva de um leilão de linha de US$ 1 bilhão do Banco Central depois do meio-dia.

A previsão do leilão de linha de US$ 1 bilhão adiciona pressão para baixo porque há interesses no enfraquecimento da Ptax diária, sobretudo o valor da taxa que será coletada por volta das 12h pelo Banco Central e que servirá de base à venda de moeda nos dois leilões de linhas.

No exterior, o apetite por ativos de risco é alimentado pela notícia de que autoridades dos EUA e da China iniciaram na noite de segunda-feira, 10, uma nova rodada de discussões comerciais.

Internamente, apesar da aparente melhora de humor, o mercado mantém um pano de fundo de cautela com o futuro governo de Jair Bolsonaro. Os catalisadores são a indefinição sobre a reforma da Previdência, a questão das suspeitas movimentações financeiras atípicas envolvendo um dos filhos e a esposa do presidente eleito e os conflitos dentro do seu partido, o PSL.

Nesta terça, o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, disse que sem a reforma da Previdência "teremos que perguntar que impostos vamos aumentar".

Às 9h42, o dólar à vista caía 0,64%, a R$ 3,8973. O dólar futuro de janeiro recuava 0,56%, a R$ 3,8985. O Ibovespa futuro estava em alta de 1,23% neste mesmo horário, em 86.935 pontos.