Jornal do Brasil

Economia

Taxas futuras de juros sobem com dólar em meio a apostas na manutenção da Selic

Jornal do Brasil

Os juros futuros operam em alta na manhã desta segunda-feira, 10, em linha com a valorização do dólar ante o real e no exterior. Na sexta-feira, dia 7, as taxas fecharam em queda. Nesta semana em que o Comitê de Política Monetária (Copom) deve manter a Selic em 6,50%, em decisão a ser anunciada na quarta-feira, 12. Os investidores vão monitorar o quadro de fraqueza inflacionária e da atividade local, além dos ruídos no futuro governo de Jair Bolsonaro.

O Coaf aponta movimentações na conta bancária de Fabrício Queiroz, ex-motorista de Flávio Bolsonaro. O Coaf indicou que a conta de Queiroz recebeu diversos depósitos, incompatíveis com sua renda. Um cheque de R$ 24 mil foi emitido por Queiroz para Michelle Bolsonaro, futura primeira-dama.

No fim de semana, Bolsonaro explicou que as transferências para Michelle foram pagamento de empréstimos feitos por ele ao ex-funcionário. Ele disse que não declarou as operações ao Imposto de Renda porque as dívidas foram se avolumando. "Se eu errei, eu arco com a minha responsabilidade perante o fisco. Não tem problema nenhum", declarou.

Sobre a reforma da Previdência, o ministro da Transição e futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), disse que ainda não está decidido se a proposta será enviada ao Congresso de maneira fatiada ou integral, mas Bolsonaro disse que quer a reforma no primeiro semestre

Outra notícia negativa é a de que a Câmara dos Deputados deve praticamente encerrar as votações nesta semana, antes do início do recesso, com a realização de quatro sessões consecutivas recheadas de "pautas-bomba", que podem deixar um rombo que pode passar de R$ 47 bilhões se os projetos forem aprovados, conforme apurou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Também não é boa a notícia de protestos de caminhoneiros que ocorrem nesta manhã na rodovia Presidente Dutra, na altura da cidade de Barra Mansa, no sul do Estado do Rio de Janeiro. Mais cedo, foi registrado também protesto em Pindamonhangaba (SP).

Segundo a CCR, que administra a Dutra, não há mais foco de protesto. Houve protesto também nas imediações do Porto de Santos (SP). As manifestações ocorrem em reação à decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, de suspender a aplicação de multas pelo descumprimento dos preços mínimos do frete rodoviário até que a corte decida sobre a constitucionalidade do tabelamento - o que não tem data para ocorrer.

Nesta manhã, a pesquisa Focus revisou para baixo mais uma vez as projeções para IPCA 2018 e 2019. Para 2018, as estimativas do mercado passaram de 3,89% para 3,71%. Para 2019, passaram de 4,11% para 4,07%. Mas a projeção para o PIB 2018 também diminuiu, indo de 1,32% para 1,30%, enquanto para 2019 segue em 2,53%.

A projeção para Selic, por sua vez, foi mantida em 6,50% para este ano, e caiu de 7,75% para 7,50% para fim de 2019. A estimativa para o câmbio em 2018 subiu de R$ 3,75 para R$ 3,78%, mas permaneceu em R$ 3,80 para o ano que vem.

Às 9h56 desta sexta, o DI para janeiro de 2021 subia a 7,84%, ante máxima em 7,86%, de 7,82% no ajuste de sexta-feira. O DI para janeiro de 2023 avançava a 9,17%, de 9,10% no ajuste de sexta-feira. O DI para janeiro de 2025 estava em alta a 9,76%, 9,69% no ajuste de sexta-feira. No câmbio, o dólar à vista subia 0,60%, a R$ 3,9187. O dólar futuro de janeiro de 2019 subia 0,20%, a R$ 3,9180.