Jornal do Brasil

Economia

Ibovespa testa 87 mil pontos; alta é limitada por Vale

Jornal do Brasil

A recuperação forte do mercado acionário internacional e do petróleo deu o tom para a abertura da sessão de negócios doméstica. O Ibovespa renovou máximas e testou o nível dos 87 mil pontos. No entanto, a força de alta foi limitada pela queda das ações da Vale, um dos blocos que têm mais peso na carteira teórica do Ibovespa.

Às 11h20, o índice à vista da bolsa brasileira tinha alta de 0,73%, aos 86.858,46 pontos. As ações de empresas listadas na carteira teórica operavam majoritariamente com ganhos. O destaque de queda era das ordinárias da Vale (-1,57%), que operava em sintonia com o desempenho negativo de suas correlatas no mercado internacional em razão do recuo de mais de 8% da cotação do minério de ferro na China.

No exterior, o desempenho das bolsas é positivo e está amparado em notícias relevantes vindas do continente Europeu. No domingo, foi aprovado por líderes regionais o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia e veio de acordo com as expectativas. No entanto, ainda o texto do Brexit ainda precisa ser referendado pelo parlamento britânico.

Na Itália, há relatos indicando que o governo italiano estaria discutindo a possibilidade de reduzir sua meta de déficit orçamentário para 2019, de 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB). A Itália é tida entre os analistas como o principal foco de preocupação em termos de contaminação negativa para a economia de toda a região. Une-se a isso, a cotação dos contratos futuros de petróleo, que é ascendente nesta segunda após o tombo na semana passada e, pouco antes do fechamento deste texto, o Brent subia 2,43% e o WTI, 1,94%.

Do ponto de vista doméstico, notícia positiva com os analistas ouvidos na

pesquisa Focus do Banco Central veem menos inflação e, até, possibilidade de recuo da taxa Selic no ano que vem.

Segundo os economistas do mercado financeiro, a mediana para o IPCA este ano passou de alta de 4,13% para elevação de 3,94%. Há um mês, estava em 4,43%. A projeção para o índice no próximo ano foi de 4,20% para 4,12%. Quatro semanas atrás, estava em 4,22%.

Os investidores também seguem acompanhando o noticiário envolvendo a equipe de transição para o novo governo de Jair Bolsonaro e também nomes para a composição do ministério. O futuro presidente anunciou nesta segunda-feira o general-de-divisão Carlos Alberto dos Santos Cruz para a Secretaria de Governo.

Bolsonaro disse no domingo que pretende, até o final do mês, definir os nomes para todos os mistérios. Ele disse que procura pessoas independentes, isentas, honestas e que pensem no Brasil, "e não em agremiações partidárias".