Bolsas da Europa fecham em alta, em dia de recuperação acionária

As bolsas europeias fecharam em alta, nesta quarta-feira, 21, recuperando-se um dia após uma jornada negativa para o apetite por risco em geral nos mercados internacionais. Além disso, investidores monitoraram a questão do orçamento da Itália para o próximo ano, bem como as negociações da saída do Reino Unido da União Europeia, o chamado Brexit. Entre os setores, o de energia mostrou força, diante do avanço do petróleo.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou com ganho de 1,14%, em 355,07 pontos.

Como esperado, a UE afirmou que a proposta orçamentária italiana para 2019 não está em linha com as regras em vigor para a zona do euro, o que deixa o país sujeito a uma ação legal. Os ativos da Itália, porém, mantiveram o tom positivo depois disso, com analistas notando que a notícia era amplamente esperada. Além disso, o vice-premiê Matteo Salvini disse que o governo de Roma está disposto a dialogar para revisar investimentos no plano para o próximo ano, embora tenha descartado reduzir a meta de déficit fiscal equivalente a 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB).

Na questão do Brexit, a premiê Theresa May garantiu que a UE continuará como um parceiro próximo, após a saída do Reino Unido do bloco. No Parlamento, ela defendeu o acordo esboçado com Bruxelas, dizendo que ele atende aos interesses nacionais, advertindo que as alternativas poderiam ser uma saída sem nenhum acordo. Ela disse também que o principal entrave no diálogo é como evitar uma fronteira "dura" entre as Irlandas.

Na bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em alta de 1,47%, em 7.050,23 pontos. Entre as mineradoras, BHP Billiton avançou 1,91% e Glencore, 0,05%. A petroleira BP subiu 2,25%. Lloyds, por sua vez, teve ganho de 1,57%.

Em Frankfurt, o índice DAX avançou 1,61%, a 11.244,17 pontos. Entre as ações mais negociadas, Deutsche Telekom subiu 0,79% e Deutsche Bank, 2,01%, mas E.ON caiu 0,37%.

O índice CAC-40, da bolsa de Paris, teve ganho de 1,03%, a 4.975,50 pontos. BNP Paribas registrou alta de 1,09%, enquanto Société Générale avançou 1,30%.

Em Milão, o índice FTSE-MIB subiu 1,41%, a 18.731,55 pontos. Entre os bancos italianos, Intesa Sanpaolo avançou 2,83% e BPM, se destacou, com ganho de 7,62%. A petroleira ENI subiu 1,22%.

Na bolsa de Madri, o índice IBEX-35 avançou 1,06%, a 8.960,60 pontos. Abengoa se saiu bem, com alta de 2,38%, e Santander ganhou 1,79%. BBVA subiu 1,76%, mas Iberdrola ficou de lado, em baixa de 0,15%.

Em Lisboa, o índice PSI-20 teve alta de 0,63%, a 4.859,96 pontos. (Com informações da Dow Jones Newswires)