Cuba mira em soluções da UE para driblar sanções dos EUA contra o Irã

Cuba expressou nesta segunda-feira (19) seu interesse no mecanismo que a União Europeia (UE) estuda para manter suas relações comerciais com o Irã, se esquivando, assim, das sanções americanas, informou à AFP um alto funcionário cubano em Bruxelas.

"Tudo o que a UE conseguir para ter maior independência para enfrentar estas ações hegemônicas" dos Estados Unidos no caso do Irã, "estaríamos interessados em saber de algum jeito que possa ajudar as relações entre Cuba e a UE", disse o diretor-geral de Assuntos Multilaterais, Rodolfo Reyes.

Reyes realizou estas declarações à AFP após abordar com os funcionários da Comissão Europeia as medidas coercitivas de terceiros países no contexto de um dos diálogos iniciados por Cuba e a UE após a entrada em vigor há um ano do Acordo de Diálogo Político e Cooperação.

Ambas as partes abordaram nesta segunda-feira os efeitos extraterritoriais das sanções americanas sobre o Irã e, entre outros, o "Veículo para Propósitos Especiais", entidade com a qual os europeus tentam evitar esses efeitos.

Este mecanismo, conhecido como SPV, administrará o dinheiro transferido para a aquisição de petróleo e permitirá liquidar as compras do Irã na UE, com base no modelo das câmaras de compensação.

"Nós, claro, demonstramos o interesse que teríamos em qualquer solução deste tipo que permita às empresas europeias cada vez mais envolvidas em investimentos estrangeiros e no comércio bilateral com Cuba", acrescentou Reyes.

A UE enfrenta dificuldades para implementar o SPV pelas reticências dos países para acolher a sede dessa entidade e alguns analistas duvidam de sua eficácia.

Grandes empresas internacionais anunciaram que se retiraram do Irã e, no começo do mês, os Estados Unidos aprovaram uma nova série de sanções para isolar os bancos iranianos das finanças internacionais.

tjc/pb/cc