França será 'vigilante', diz Macron sobre Nissan-Renault

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou nesta segunda-feira (19) que será "extremamente vigilante" sobre a aliança Nissan-Renault, após a prisão no Japão do executivo Carlos Ghosn. Segundo o mandatário, no entanto, ainda é "muito cedo para se pronunciar" sobre os fatos. O Estado francês detém cerca de 15% das ações da Renault.

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou nesta segunda-feira (19) que será "extremamente vigilante" sobre a aliança Nissan-Renault, após a prisão no Japão do executivo Carlos Ghosn. Segundo o mandatário, no entanto, ainda é "muito cedo para se pronunciar" sobre os fatos.
O Estado francês detém cerca de 15% das ações da Renault.