Bolsas de Nova York fecham em queda expressiva

As bolsas de Nova York fecharam em expressiva queda nesta segunda-feira, 12, dia de pouca liquidez diante do feriado do Dia dos Veteranos nos Estados Unidos, em que as perdas foram protagonizadas pelos setores financeiro e de tecnologia.

O índice Dow Jones registrou queda de 2,32%, perdendo mais de 600 pontos, aos 25.387,18 pontos, enquanto o S&P 500 caiu 1,97%, para 2.726,22 pontos. O Nasdaq, por sua vez, recuou 2,78%, aos 7.200,87 pontos.

Em um dia de pouca liquidez devido ao feriado em solo americano, que manteve fechado o mercado de Treasuries, as maiores perdas entre os principais índices nova-iorquinos foram das empresas de tecnologia. As ações da Apple foram o destaque, em queda de 5,04%, depois que o JPMorgan cortou as estimativas de lucro da companhia, diante de uma visão menos otimista para a trajetória de vendas de iPhone neste ano e no próximo. Os papéis do Facebook (-2,35%) também foram penalizados em meio a instabilidades em seus serviços - a página da rede social chegou a sair do ar. A empresa não informou, no entanto, mais detalhes sobre o problema.

Também o setor financeiro marcou forte queda neste pregão. A ação do Goldman Sachs despencou 7,46% depois que, na sexta-feira, foi revelado que o então executivo-chefe do banco, Lloyd Bankfein, teve duas reuniões ainda no posto, em 2009 e 2013, com um financista malaio, o ex-premiê Najib Razak, que está no centro de um dos maiores escândalos financeiros da história. Diante do cenário, Morgan Stanley (-3,50%) e Bank of America (-2,70%) também recuaram.

As ações da General Eletric também foram destaque pela forte queda, de 6,88%, à medida que investidores continuam a questionar a viabilidade do conglomerado industrial, que há duas semanas revelou planos para cortar seu dividendo. Além disso, na sexta-feira analistas do JPMorgan cortaram sua previsão para o papel para US$ 6, e hoje o executivo-chefe da GE, Larry Culp, disse que o setor de energia da empresa está "ficando perto" de seu piso, o que ainda indicaria espaço para temores com sua trajetória.

Investidores aguardam ainda pelo índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos EUA, que será divulgado pelo Departamento do Trabalho do país na quarta-feira e deve prover mais evidências sobre a trajetória da inflação.