Bolsas da Europa fecham em queda, contaminadas pelo mau humor global

As bolsas europeias fecharam em baixa nesta sexta-feira, 26, e recuaram também na comparação semanal. O menor apetite global por risco pesou novamente sobre os mercados, após uma sessão ruim nas bolsas da Ásia e em jornada negativa também para as praças americanas, enquanto investidores continuaram a monitorar balanços corporativos e questões como o orçamento da Itália e as negociações da separação do Reino Unido da União Europeia, o chamado Brexit.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,75%, em 352,39 pontos, e na semana recuou 2,45%.

O impasse sobre o orçamento da Itália continuou em foco. O governo local se recusa a ceder em sua meta de déficit orçamentário equivalente a 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB), enquanto as autoridades da União Europeia pressionam por mudanças. Hoje, Luigi Di Maio, vice-premiê italiano, afirmou que o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, está "envenenando ainda mais o clima" com seus comentários sobre o tema. Ontem, Draghi comentou que, conforme os juros dos bônus da Itália sobem, o espaço para expansão fiscal no país "fica menor". Além disso, a agência S&P deve se pronunciar sobre o rating da Itália ainda nesta sexta-feira.

Na bolsa de Londres, o índice FTSE-100 fechou em baixa de 0,92%, em 6.939,56 pontos, e na semana recuou 1,56%. Entre as ações em foco, Royal Bank of Scotland caiu 4,1%, após um balanço corporativo que não agradou. Por outro lado, Randgold subiu 3,5%, acompanhando a alta do ouro.

Em Frankfurt, o DAX teve queda de 0,94%, para 11.200,62 pontos, e na comparação semanal caiu 3,06%. Entre os bancos alemães, Deutsche Bank recuou 3,40% e Commerzbank, 1,65%. No setor automotivo, BMW subiu 0,90%.

Na bolsa de Paris, o índice CAC-40 recuou 1,29%, a 4.967,37 pontos, e na semana perdeu 2,31%. Entre os papéis mais negociados, Orange caiu 1,19% e AXA, 1,22%. Crédit Agricole teve queda de 1,67% e, no setor de energia, Total recuou 1,52%.

Em Milão, o índice FTSE-MIB caiu 0,70%, a 18.683,27 pontos, e na semana teve queda de 2,08%. Banca Carige terminou o dia estável, mas Intesa Sanpaolo caiu 0,79% e Banco BPM recuou 1,94%. ENI, por outro lado, subiu 1,07%.

Na bolsa de Madri, o índice IBEX-35 fechou em queda de 0,62%, a 8.730,40 pontos, e na semana perdeu 1,82%. Os bancos espanhóis não tiveram sinal único, com Santander em baixa de 1,20%, BBVA em queda de 0,35%, mas Banco de Sabadell com ganho de 5,13%.

Em Lisboa, o índice PSI-20 teve baixa de 1,27%, a 4.924,95 pontos, e na semana caiu 2,01%. Banco Comercial Português recuou 2,82% e EDP Renováveis teve baixa de 0,25%, enquanto no setor de energia Galp teve queda de 1,28%. (Com informações da Dow Jones Newswires)