Jornal do Brasil

Economia

Tarifas afetam pequenas e médias empresas americanas

Jornal do Brasil

O governo Trump diz que as tarifas sobre importações chinesas vão trazer a produção de volta aos EUA, mas algumas empresas de pequeno e médio portes dizem que as tarifas estão prejudicando, e não ajudando, seus negócios.
A Kent International abriu uma fábrica em Manning, na Carolina do Sul, em 2014, para começar a montar bicicletas que vende para a Walmart e outros varejistas. Hoje, emprega cerca de 167 pessoas e planejava expandir a instalação em 2019 importando tubos de aço cortados na China para pintura e soldagem. E esperava contratar mais 30 a 40 trabalhadores para a fábrica, que monta 300 mil das cerca de 3 milhões de bicicletas vendidas anualmente em todo o mundo.
“Quando começamos a ficar sabendo das tarifas e estávamos confiantes de que os tubos de corte estariam sujeitos às tarifas, paramos”, disse Arnold Kamler, seu executivo-chefe há mais de 30 anos. Em vez disso, ele está viajando para a Tailândia, Vietnã, Camboja, Filipinas e Taiwan para encontrar novos fornecedores. “Não estamos trazendo empregos para a América com isso”, disse Kamler. “Estamos trazendo empregos para diferentes países do Sudeste Asiático.”
Na Allied Technologies International, fabricante de peças em Tualatin, Oregon, com 57 funcionários, os pedidos aumentaram 30% em relação ao ano passado. “Há um choque de preços por causa das tarifas e, mais importante, há um risco na cadeia de suprimentos”, disse o CEO da Allied, Thomas Biju Isaac.
Empresas que trouxeram fábricas de volta para os EUA dizem que as tarifas estão aumentando seus custos e tornando-as menos competitivas.
“É difícil fabricar coisas aqui”, disse Manville Smith, vice-presidente da JL Audio. “Seria bom se nosso governo nos ajudasse, não nos prejudicasse.”
Muitas pequenas e médias empresas atingidas pelas tarifas estão simplesmente não aumentando os preços para compensar os custos adicionais. Alguns proprietários de empresas também afirmam que estão adiando os planos para expandir sua presença nos EUA, analisando desistir de algumas linhas de produtos ou a transferência da produção para o exterior.



Recomendadas para você