Ibovespa tem leve correção e fecha em baixa de 0,38%

Depois de ter subido 5,91% em dois pregões, embalado pelo "rali do alívio" com o cenário eleitoral, nesta quinta-feira, 4, o Índice Bovespa cedeu a um movimento de realização de lucros e caiu 0,38%, para 82.952,81 pontos. O penúltimo pregão antes do primeiro turno da eleição presidencial foi marcado por um clima de intensa especulação, principalmente no período da tarde, quando informações a favor e contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) invadiram as mesas de operação.

Na mínima do dia, registrada pela manhã, o Ibovespa chegou a cair 1,66%, aos 81.892 pontos, com os investidores recolhendo parte dos ganhos acumulados na semana. Justificava esse movimento o resultado da pesquisa Ibope de quarta-feira, que mostrou poucas oscilações e basicamente confirmou que o quadro eleitoral segue mesmo indefinido.

À tarde, no entanto, o índice chegou a subir até 0,19% (83.430 pontos), puxado por ações de empresas estatais, com os papéis da Petrobras registrando altas superiores a 2%, em contraposição às quedas do petróleo no mercado internacional. Banco do Brasil e Eletrobras também registraram ganhos significativos e contribuíram para amenizar a queda do Ibovespa.

A alta momentânea foi alimentada em boa parte por especulações em torno da pesquisa Datafolha que será divulgada na noite desta quinta-feira. Embora os comentários sobre um suposto resultado mais favorável a Bolsonaro tenham ocorrido no meio da tarde, o Datafolha informou ao Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, que a coleta de informações ainda estaria em andamento até as 17h.

"As especulações em torno da pesquisa Datafolha incentivaram as compras à tarde. Mas também podem ter ocorrido compras para zeragem de posições formadas pela manhã. O fato é que a eleição se aproxima e esta será a última pesquisa eleitoral que o mercado terá para se posicionar antes do primeiro turno", disse Ariovaldo Ferreira, gerente de renda variável da Hcommcor.

No caso específico das ações da Eletrobras, os papéis se anteciparam à virada vista em Petrobras, com notícia publicada pelo Broadcast apontando que a intenção de um eventual governo Bolsonaro é de acelerar o processo de concessão de projetos de infraestrutura e levaria adiante a privatização da estatal do setor elétrico. Os papéis da Eletrobras, que chegaram a cair pela manhã, terminaram o dia com altas de 4,93% (ON) e 4,85% (PNB). Já Petrobras ON e PN subiram 1,06% e 0,97%, respectivamente, enquanto Banco do Brasil ON avançou 2,45%.