Tribunal da ONU ordena que EUA suspenda sanções ao Irã sobre bens humanitários

Um tribunal da Organização das Nações Unidas (ONU) ordenou hoje que os EUA suspendam as sanções que afetam o comércio de bens humanitários e a aviação civil com o Irã, decisão que Teerã alegou ter vencido sua batalha contra o governo Trump.

Não está claro se Washington seguirá a decisão da Corte Internacional de Justiça, o que complicaria seus esforços para aumentar a pressão econômica contra o Irã.

Washington argumenta que o tribunal não tem jurisdição sobre suas medidas de sanções. Não houve comentários imediatos do Departamento de Estado.

A decisão de quarta-feira foi uma decisão provisória sobre um caso mais amplo em que o Irã questionou a legalidade das sanções dos EUA. Esse caso principal pode levar anos para ser resolvido.

Embora Washington tenha dito que suas sanções não terão como alvo a ajuda humanitária, a decisão pode minar sua estratégia de sanções, se implementada.

Os EUA está reimpondo amplas sanções a Teerã após a decisão do presidente dos EUA, Donald Trump, em maio de retirar os EUA do acordo nuclear iraniano de 2015.

O tribunal disse que os canais de pagamento necessários para realizar o comércio humanitário e de aviação devem estar disponíveis, o que significa que as poderosas sanções financeiras dos EUA podem precisar ser relaxadas. A ameaça dos EUA de cortar o acesso de empresas estrangeiras e bancos ao mercado do dólar e o sistema financeiro dos EUA é a principal ferramenta financeira que permitiu a Washington reduzir o comércio internacional com inimigos dos EUA, como Irã e Coreia do Norte.

A decisão também exigiria que os EUA suspendessem a revogação de licenças para a venda de aeronaves comerciais e peças para o Irã. Esse movimento foi parte de uma primeira rodada de sanções renovadas que entraram em vigor em agosto.

Fonte: Dow Jones Newswires.