Bolsas da Europa fecham em alta ajudados por câmbio; Itália recua com orçamento

A fraqueza do euro e da libra ajudou os mercados acionários da Europa a fecharem majoritariamente em alta, com o dólar fortalecido em meio a dados da economia americana e no dia seguinte à decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) de elevar em 0,25 ponto porcentual a taxa de juros no país. A exceção nas negociações desta quinta-feira, 27, foi a Bolsa de Milão, que registrou queda diante das incertezas acerca da discussão orçamentária no país. O Stoxx-600 avançou 0,35% nesta sessão, aos 386,38 pontos.

Divulgados pela manhã, uma série de indicadores da economia americana fortaleceram a moeda local, penalizando as europeias. Entre eles está o Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA, que cresceu à taxa anualizada de 4,2% no segundo trimestre, pouco menor que a previsão de ganho de 4,3% de analistas, na leitura final publicada pelo Departamento do Comércio. Já o índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) no mesmo período e na mesma base subiu 2,0%, enquanto o núcleo do PCE, que exclui alguns itens voláteis, avançou 2,1%.

Com o euro e a libra mais fracos ante o dólar, as exportadoras do continente se fortalecem. Na Bolsa de Frankfurt, onde o DAX avançou 0,40%, aos 12.435,59 pontos, as ações da Bayer subiram 1,56%, enquanto as da Volkswagen registraram ganho de 1,61%. Também se destacaram os papéis da Thyssenkrupp, com alta de 9,92%, após o anúncio de que o grupo pode ser dividido em duas empresas. "O Conselho de Administração está convencido de que esta nova estrutura permitirá às empresas se desenvolvam melhor e se concentrem em seus pontos fortes", afirma a companhia em nota.

Em Londres, o FTSE 100 fechou em alta de 0,45%, aos 7.545,44 pontos, onde a alta nos preços do petróleo ajudou também os papéis da BP, que ganharam 1,25%. Em Paris, as ações da petrolífera Total avançaram 1,06%, e o índice CAC 40 teve alta de 0,40%, aos 12.435,59 pontos.

Na Itália, continuam a pesar sobre a Bolsa de Milão as discussões sobre o orçamento do próximo ano fiscal. O índice FTSE MIB fechou o pregão em queda de 0,62%, aos 21.511,07 pontos, enquanto investidores aguardam a apresentação da proposta de gastos, em meio a relatos de que pode ser atrasada e que há dificuldade no diálogo entre os partidos italianos.

Já nos ibéricos, o PSI 20, de Lisboa, registrou ganho de 0,64%, aos 5.424,27 pontos, enquanto o Ibex 35, de Madri, subiu 0,03%, aos 9.527,50 pontos.