Bolsas da Europa fecham majoritariamente em alta seguindo bom humor em NY

As bolsas europeias fecharam majoritariamente com ganhos nesta quinta-feira (20), atreladas ao movimento altista nas bolsas de Nova York, enquanto os investidores minimizam a guerra comercial entre os EUA e a China. O índice Stoxx 600 terminou com avanço de 0,7%.

A bolsa de Londres terminou em alta de 0,49%, apesar do avanço da libra, enquanto a bolsa de Frankfurt subiu 0,88%. Já a bolsa de Paris teve ganho de 1,07%. A bolsa Milão registrou acréscimo de 0,51%, Madri acelerou 1,03% e Lisboa caiu 0,27%.

Os mercados como um todo minimizaram as preocupações de escalada da guerra comercial entre EUA os e a China. Na segunda-feira, os EUA aplicaram tarifas de 10% sobre US$ 200 bilhões em produtos chineses. A China retaliou colocando tarifas sobre US$ 60 bilhões em bens dos EUA.

"As bolsas subiram na Europa com a retomada do otimismo agora que os comerciantes superaram a mais recente escalada na briga comercial entre EUA e China", disse David Madden, da CMC Markets. "A poeira baixou na esteira das tarifas anunciadas, e os investidores, na ausência de notícias negativas, promoveram a compra", acrescentou.

O bom humor na Europa ganhou força depois da abertura das bolsas em Nova York, que registram mais um dia de ganhos, com o Dow Jones registrando seu primeiro recorde intraday desde janeiro. O sentimento em Wall Street foi impulsionado porque os investidores apostam que uma guerra comercial entre os EUA e a China não será tão ruim quanto se temia anteriormente.

Em Londres, "a força positiva do setor de mineração continuou a apoiar o índice FTSE 100, com crescente otimismo sobre o caminho dos metais básicos ajudando a impulsionar compras de longo prazo para o setor", disse Josh Mahony, do IG Group. Destaque para alta de 2,6% da Fresnillo.

Voltando para a Europa, os investidores acompanharam hoje a cúpula informal de líderes da União Europeia na Áustria. Líderes da União Europeia querem pressionar por um acordo do Brexit até outubro, mas alertaram a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, que as negociações podem entrar em colapso se ela não der liberdade sobre as questões da fronteira e do comércio da Irlanda do Norte.

No geral, muitos setores registraram ganhos de mais de 1%. Entre os destaques, o banco dinamarquês Danske Bank fechou em alta de 4,76% depois que o UBS disse que as ações do banco ainda eram atraentes do ponto de vista da avaliação, apesar de um escândalo de lavagem de dinheiro em torno de sua filial na Estônia. A autoridade financeira da Dinamarca, a Autoridade de Serviços Financeiros, anunciou nesta quinta-feira a reabertura de uma investigação sobre o banco, cujo presidente renunciou na quarta-feira.

Entre as moedas, a libra avançou depois que as vendas no varejo do Reino Unido subiram 3,3% no mês passado na comparação anual, superando as expectativas dos analistas, de alta de 2,2%. (Com informações da Dow Jones Newswires)