Jornal do Brasil

Economia

Comitê elétrico mantém térmicas, de energia cara

Primavera traz esperança de chuvas, mas bandeira vermelha pode ficar até outubro

Jornal do Brasil

Moderem o consumo. O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, colegiado coordenado pelo Ministério de Minas e Energia, decidiu ontem, em reunião extraordinária, manter o acionamento de usinas termelétricas mais caras, pela 4ª semana seguida. Com a medida, devido à excassez de água nos reservatórios das usinas hidrelétricas, as principais fontes de energia do país, a propabilidade é de que a Bandeira Vermelha 2 - a tarifa mais cara da energia elétrica - será mantida até outubro. Se o período de chuvas viero início da primavera, a partir de amanhã, poderá haver revisão de tarifas em novembro.

Macaque in the trees
Termelétricas a gás, como a TermoAçu (RJ), terão de ser acionadas por mais uma semana (Foto: Divulgação)

A decisão vale para as usinas com Custo Variável Unitário até R$ 766,28/MWh para o período de 22 a 28 de setembro. A medida diz respeito a um conjunto de 14 usinas e reafirma decisão tomada pelo comitê no dia 1° de setembro, quando acionou as usinas. A medida levou em consideração os atuais níveis de armazenamento dos subsistemas do Sistema Interligado Nacional. A perspectiva é que o CMSE é de realizar reuniões extraordinárias semanalmente para debater a situação dos reservatórios das usinas e a faixa das tarifas.

Bandeiras tarifárias

Na terça-feira, o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), André Pepitone, descartou a possibilidade de revisão no valor das bandeiras tarifárias. As bandeiras são acionadas em período de escassez de chuvas, quando há redução no nível dos reservatórios nacionais. Nesses períodos há o acionamento de usinas térmicas, cujo custo de produção é bem mais alto.

 



Recomendadas para você