Jornal do Brasil

Economia

Inflação na Turquia atinge 17,9% em agosto, recorde em 15 anos

Jornal do Brasil

A inflação na Turquia disparou a 17,9% em ritmo anual em agosto, anunciou nesta segunda-feira o instituto nacional de estatísticas (Tüik), um recorde desde 2003, em um momento de desvalorização da moeda turca.

Os preços ao consumidor aumentaram 2,3% em agosto na comparação com julho e 17,9% em relação a agosto do ano passado.

"O aumento da inflação em agosto reflete a fragilidade da lira turca", explica em um comunicado Jason Tuvey, economista da Capital Economics. "Uma divisa frágil aumenta os custos de importação e as empresas repassam de imediato aos consumidores", completou.

A moeda turca perdeu mais de 40% de seu valor em relação ao dólar desde o início do ano, 24% somente em agosto, consequência das tensões entre Turquia e Estados Unidos e o anúncio de sanções econômicas recíprocas.

Os setores mais afetados pela inflação em ritmo anual foram transportes (+27,13%), alimentação (+19,75%) e habitação (+16,30%).

O Banco Central da Turquia (CBRT) reagiu nesta segunda-feira com o anúncio de que adotará as "medidas necessária para apoiar a estabilidade de preços".

"A orientação monetária será ajustada na reunião do comitê de política monetária de setembro", afirma o CBRT em um comunicado.

O anúncio freou momentaneamente as perdas da lira turca, que era negociada a 6,61 liras por dólar durante a manhã.

Os mercados esperam que o CBRT aumente as taxas de juros na reunião de 13 de setembro para lutar contra a inflação.

Mas o presidente Recep Tayyip Erdogan, partidário do crescimento a qualquer preço, é contrário à medida e chama as taxas de juros de "pai e mãe de todos os males".

A crise econômica se aprofundou em agosto pelas tensões entre Ancara e Washington, irritado pelo caso de um pasto americano detido na Turquia há um ano e meio.

Os dois países, aliados na Otan, anunciaram sanções recíprocas e o governo dos Estados Unidos prometeu aplicar outras caso o pastor não seja liberado.

Erdogan denunciou um "complô" contra a economia turca e no domingo acusou Washington de comportar-se como um "lobo selvagem".

De modo paralelo afirmou que negocia com a Rússia para reduzir a dependência do dólar no comércio internacional.

A Turquia tem contatos com outros países para fomentar os negócios. O Catar anunciou recentemente um plano de investimentos de 15 bilhões de dólares na economia turca.

Na semana passada, o ministro turco das Finanças, Berat Albayrak, genro de Erdogan, afirmou que 2019 será "um ano muito forte" na luta contra a inflação.

Analistas, no entanto, acreditam que a inflação pode superar 20% nos próximos meses.

 

lsb/gkg/mcj/pc/zm/fp



Recomendadas para você