No Rio, operadoras de celular e Cedae lideram o ranking das reclamações

As estatísticas do Procon do Rio deJaneiro nãodiferem muito dos números nacionais. Entreas dezempresasque mais receberam reclamações no período entre agosto do ano passado e setembro deste ano, cinco são de telefonia celular (veja quadro ao lado). Em São Paulo, as queixas sobre empre- sas telefônicasrepresentam 45% do total de reclamações. A popularização da telefonia celular, devido ao crescimento daclasse C,assimcomo adi- ficuldadede controlarovolu- me de dados, justificam parte deste caos.No entanto,o di- retor executivo do Procon pau- lista, Roberto Pfeiffer, vê que falta autoridade na Agência Nacional de Telecomunica- ções (Anatel). – A sociedade espera uma postura maisenérgica da Anatel nestescasos –diz Pfeiffer. – Esperamos uma atitudemais proativapor parte da Anatel, para que re- gulamentos maisseveros se- jam editados. Aaposentada IreneGade- lha, de 55 anos, sentiu na pele a “terra sem lei” do setor de telefonia. Em 2006, a Tele- marcomeçou acobrar,em sua conta,ligações interna- cionais que jamais haviam si- do feitas. E não adiantava re- clamar, porque a empresa simplesmente ignoravaseus apelos. – Quando vi que não havia possibilidade dediálogo, re- corri ao Procon. Na audiência de conciliação o advogado da Telemar não tinha qualquer proposta.– lembraIrene.– Como espe rava por isso, pro- pus o cancelamento das con- tasanteriores emaisuma conta sem pagar. Eles aceita- ram na mesma hora. Em meio às empresas públi- cas, a Cedae é a campeã de re- clamações.A empresaforne- cedora de água ocupa a 12ª po- sição entre os líderes de quei- xas do Procon fluminense. Paraadona decasaFloraci Souza, moradora do Andaraí, a “conquista” da Cedae não é surpresa. Sem água há duas se- manas, ela se queixa de que os problemas são habituais. – Já fizeram até reportagens na televisãosobre nossopro- blema, mas ninguém resolve – protesta a dona de casa. – Eles já deram vários prazos para re- gularizar ofornecimento d’águaaqui, masnuncacum- priram o que prometeram.

AGONIA

– Usuários de vários bairros reclamam da Cedae, porque falta de água virou rotinaCPDOC JB

126

queixas contra a Cedae entre agosto de 2009 e setembro de 2010

45%

das reclamações do Procon-SP são sobre empresas de telefonia