A senha que abre a porta do futuro

Sociedade aberta

Ivan Postigo

DIRETOR DE GESTÃO EMPRESARIAL

Em cada esquina há sempre um indivíduo que se julga sábio, mas o mundo o desconhece

Parede seocuparcom questões operacionais, isso é muito cômodo, e reserve um tempo para con- versar sobre o futuro. Saia do conforto da sua sala, enfrente um pouco de congestionamen- to, vá a seminários, visite for- necedorese clientese,tam- bém, os reúna, com especialis- tas,na suaempresa, paraal- gumas reflexões. Grandes ideias nascem nas periferias, mais próximas da realidade e das dificuldades, enquanto estamosfocados nos grandes centros. Em um ambiente mercadológicode altíssima competitividade, a senha que abre a porta do fu- turo é superação. Superamos nossoscompeti- dores ouseremos superados. Já! Digo-lhe comtoda segu- rança, sempre que temos uma grande ideia, há sempre uma pessoa, em algumlugar , que se antecipou, trabalhando ne- la. Esse é o lado ruim da ques- tão. O lado bom é que uma ideia nada vale, enquanto não for colocada em prática. Trate-as como pésde alface na sua banca de verduras. São perecíveis,e noinício dodia semprevalem mais,poissão mais frescas e vistosas. Depois que o concorrente fez sucesso não adianta dizer: “Eu tinha pensadonisso”.Para opéde alface, é fim de feira. Em cada esquina há sempre um indivíduoque sejulga sá- bio, mas o mundo o desconhe- ce. Para o mercado, o velho di- tado “quemsabe faz,quem nãosabe batepalma” ébem adequado. Individualistas, sempre se veemobrigados a enfrentar adura realidade que, em algum momento, apa- recerá alguémmelhor doque eles. O mundo trabalha vinte e quatro horas por dia, sete dias por semana, ritmoque nin- guém, isoladamente,conse- gue acompanhar. Nossa permanência no pódio é temporária em disputas acir- radas, e o mundo, que gosta de novidades, torce para que nos superemos ou sejamos supera- dos. A grande dificuldade das empresas para prospecção de clientes eoportunidades de negócios, para construção do futuro,éque omercadoestá cada vez mais segmentado. Esforços paraatrair aaten- ção de todos consomem recur- sosenão geramosresultados esperados e necessários. Fun- damental para osucesso de qualquer empreendimento é a identificação dos nichos con- identificação nãoé umpro- cesso simples quando se pro- cura aproveitá-las. O ingresso tardio para explo- rá-las coloca a empresa em po- sição extremamente desvan- tajosa. Em ummercado em constante renovação, a demo- ra na aplicação de ideias pode torná-las mortasou ultrapas- sadas, ainda que inéditas. A vantagem competitiva es- tá cada vez maiscom as em- presas que exploram com in- tensidade o capital intelec- tualde seupotencial dere- cursos humanos. A excelên- cia em gestão empresarial, que gera resultados e provo- ca o crescimentodas organi- zações, está diretamente li- gada à capacidade e disposi- ção dos dirigentes em desen- volverem, adicionaremcom- petências e se superarem. Como dirigentes, temos que identificar, reconhecer e agir para superar nossas pró- priaslimitações. Essedes- prendimento permite abrir a porta do futuro gerando re- sultados maiores,com redu- ção substancial do estresse. sumidores e potenciais. Um gestor que não os reconhece, trabalha sem foco. Em muitos segmentos, a vo- latilidade dos movimentos da moda e, principalmente, tecnológicos dificultam a identificação das ondas e das tendências. Tendências cos- tumampermanecer porpe- ríodos de 10 anos, confundin- do-secomas ondas,quesão passageiras. Ocorre que a