EDUCAÇÃO Yes, we can!

Classe C não vê mais o curso de inglês como ar tigo de luxo e começa a buscar maneiras de pr ovar que também pode investir em educação. Empr esas r egistram aumento de 20% na pr ocura em 2010

Jor ge Lour enço

Se v ocê não conseguiu ler o título ao lado , pr ovav elmente é um consumidor em potencial de um mer cado que só tem cr es - cido no Br asil. A fr ase, slo gan da campanha de Bar ac k Obama à Pr esidência dos EU A, quer di - z er “sim, nós podemos” e r esu - me a situação dos 100 milhões de br asileir os que compõem a classe C. Com um poder aqui - siti v o cada v ez maior , eles estão gastando mais e popularizando os cur sos de idiomas. Segundo o Instituto Br asileir o de Geo g r afia e Estatística (IB - GE), a classe C aumentou em 50,5% e viu sua r enda cr escer 40% nos últimos sete anos. E ela não quer par ar por aí. – Essa classe está conhecendo a inclusão – conta o dir etor de mar k eting do CN A, Leonar do Cirino . – O maior pa v or deles é per der o que conquistar am, daí o in v estimento em educação . Em 2010, r egistr amos 20% de cr escimento contr a uma média de 7% nos últimos anos.

Continua na página seguinte.