Com dólar em baixa, consumidor dá mais atenção aos importados

Como o go v erno ainda não v enceu a queda de br aço par a tentar desv alorizar o r eal, o br a - sileir o v ai encontr ar importa - dos mais acessív eis nas pr ate - leir as dos supermer cados. A pr e visão da Abr a séad e que o consumo de importados acompanhe o ritmo de cr esci- mento do natal e suba 12,1% em r elação a 2009. – Um quilo de peru está cus - tando mais car o do que o de ba - calhau. Então a tendência é que as pessoas optem pelo importa - dos, que estão mais em conta do que no natal do ano passado – aponta o economista Max Mon - teir o . – É pr eciso lembr ar que há f orte apelo ao consumo e ao emocional nesta época o que aca ba contribuindo par a o au - mento do consumo . P a r a o economista, o otimis- mo da população de v e ser ana- lisado de maneir a cautelosa. As f acilidades do financia- mento e o cr escimento da eco- nomia f az em com que o Br asil comece a vi v er um cenário pa- r ecido com o dos Estados Uni- dos antes da crise. – A f acilidade no crédito e com a taxa de jur os sinalizan- consumo em r elação ao ano passado . O natal do br asileir o de v e ser r egado de cer v eja (15,2%), panetone (14,1%) e bacalhau (13,8%). do queda contribuem par a es- te endi vidamento . Embor a, es- tejamos longe do que aconte- ceu nos Estados Unidos. Os dados da Abr as também apontar am quais pr odutos apr esentar am aumento de

CPDOC JB

CEIA

– Com o r eal for te, brasileir o terá mesa de ar tigos estrangeir osCom Agência Brasil