Frente a frente com o turismo

TURISMO

Frente a frente

Dólar desvalorizado e Copa obrigam o turismo brasileir o a concor r er em igualdade com rivais

Antônio Puga e Jor ge Lour enço

As per specti v as par a o turismo no Br asil nos próximos anos são as melhor es possív eis. Até 2014, a pr ojeção é de que a entr ada de di visas internacionais suba de R$ 6,3 bilhões par a R$ 8,9 bilhões, segundo dados do Documento Re - fer encial T urismo no Br asil 2011-2014. A per gunta é: o país está pr epar ado par a uma e xpan - são tão g r ande no setor? Entr e 1999 e 2008, o Br asil er a um destino bar ato par a o turista estr angeir o . Hoje, com o dólar na casa dos R$ 1,70, ficou mais difícil con v encer o tu - rista estr angeir o a vir par a o Br a - sil, e impedir que o br asileir o vá ao e xterior . – Hoje, o prin - cipal desafio do país é pr epar ar uma infr aestrutur a melhor par a r ece ber os turistas. P ode par ecer r epetiti v o , mas é jus - tamente isso – disse o pr esidente da Associação Br asileir a de Agên - cias de V iagem (Aba v), Car los Al - berto Amorim F err eir a. – E um destino está bem pr epar ado par a r ece ber um turista quando ele já está pr epar ado par a a brigar seu próprio ha bitante. A solução da equação par a ba- lancear a quantidade de turistas que entr arão no Br asil até 2014 e a qualidade dos ser viços ofer e- cidos é um dos principais pontos a ser em tr atados na 38ª edição do Cong r esso Br asileir o de Agências de V iagens, que come- ça hoje no Rio . Nos últimos três anos, o país subiu 14 posições no r anking de competiti vidade no setor de via- gens e turismo do

W orld Econo- mic F orum

. Mesmo assim, ocupa a 45ª posição . Pr oblemas com tr ansporte e segur ança influen- ciar am o desempenho . – Além do in v estimento em infr aestrutur a, que o Go v erno F eder al já v em f az endo no país, não dá par a negar que f alta mão de obr a especializa - da par a o turismo – admitiu o pr esidente da Aba v . No intuito de manter o setor a bastecido pa - r a a demanda dos próximos anos, o Minis - tério do T uris - mo desen v ol - v eu pr o g r amas como o “Olá T urista”, que tr eina pr ofissio - nais em línguas estr angeir as par a a r ecepção de turistas. – Nós a brimos linhas de cré - dito par a a criação de no v os hotéis e cur sos de capacitação par a pr ofissionais da ár ea. A oferta de crédito par a o turis - mo subiu de R$ 600 mil em 2003 par a R$ 3,1 milhões em 2009, são 400% de aumento – e xpli - cou o ministr o do T urismo , Luiz Barr etto . – Dur ante a Copa, te - r emos cer ca de 600 turistas es - tr angeir os cir culando no Br a - sil. Nossa intenção é r ece bê-los bem e manter a atr ação .

Pr oblemas de transpor te e segurança colocam o Brasil na 45ª posição no ranking turístico mundial

CPDoc JB

NATUREZA – Belezas e grandes eventos deixam o Brasil em evidência

Continua na página seguinte

mundo mundocom o