Recordes que tambémpreocupam

-->IMPOR T AÇÕES-->Real for te faz impor tações bater em r ecor de histórico, mas liga o aler ta da indústria nacional-->O f orte aquecimento da eco - nomia br asileir a, o dólar em baixa e a pr o ximidade do Natal ajudar am o Br asil a bater r e - cor de histórico de importações em setembr o . As importações par a o país somar am US$ 17,74 bilhões no mês passado , segun - do númer os di vulgados pelo Mi - nistério do Desen v olvimento , Indústria e Comér cio Exterior (MDIC). F oi o maior v alor r egistr ado desde a criação do índice, em 2003. A média f oi de, apr o xi - madamente, US$ 844 milhões por dia útil. Em r elação ao mes - mo período do ano passado , o aumento f oi de 35,9%. O mais perto disse que o país já c hegou f oi em agosto de 2008, quando te v e US$ 830 milhões em com - pr as do e xterior . A principal r azão do alto v a - lor é que as g r andes empr esas f az em suas compr as do Natal nos meses de agosto e setembr o par a começar em as v endas em no v embr o e dez embr o . – As importações já começam a r efletir as compr as de Natal em agosto . Há uma saz onalida - de em agosto e setembr o de im - portação de bens de consumo – e xplicou o secr etário de Comér - cio Exterior do Ministério do Desen v olvimento , W elber Bar - r al. – Antes, tínhamos m uitas importações de vinho do Chile e da Ar gentina. Agor a, já estão vindo do m undo todo . O v alor também tem r elação com outr o r ecor de: o baixo ín - dice de desempr ego . Medida desde 2002, a taxa r egistr ou 6,7% em agosto , a menor da his - tória. Em r elação ao mesmo pe - ríodo do ano passado , o índice r ecuou 1,9%. A cotação do dólar também f oi determinante par a o r ecor - de. Em 2003, quando o índice de e xportações começou a ser di - vulgado pelo MDIC, a moeda americana v alia R$ 3,66. Em f orte queda desde então , a di - visa fec hou setembr o v alendo R$ 1,69.-->Confiança e vendas a prazo-->O cr escimento do país, cuja economia de v e cr escer 7,3% em 2010, também aumentou a con - fiança dos consumidor es. Da - dos da Or ganização Internacio - nal do T r a balho já aponta v am aumento de 38% par a 43% de 2007 até 2009. – O índice de confiança nas políticas go v ernamentais está dir etamente r elacionado ao ní - v el de empr ego – sublinhou Ste - v en T obin, um dos autor es do estudo . – Constatamos que nos países onde houv e r edução da confiança, o desempr ego er a mais ele v ado do que nos outr os, onde a confiança no go v erno au - mentou após a crise. O cenário positi v o fez com que as v endas a pr az o aumen - tassem, segundo estudo da As - sociação Comer cial de São P au - lo . Segundo dados di vulgados ontem, esse tipo de compr a au - mentou 12,9% em setembr o , quando compar ado com o mes - mo período do ano passado . O índice de inadimplência de par - celas r egistr ou aumento de 5,2%. No entanto , como o v alor é inferior ao impulso nas com - pr as, ele não influenciou o bom desempenho . Compr as à vista também r egistr ar am aumento , só que de 7,9%.-->Superávit menor-->O aumento nas importações tam - bém influenciou a balança comer - cial br asileir a, que fec hou o mês com superávit de R$ 1,093 bilhão , o menor dos últimos seis meses. Em r elação a setembr o do ano passado , o v alor f oi 16,5% menor . A pesar da queda, o v olumede e xportações cr esceu 35,9% fr ente às do mesmo mês de 2009.-->R$30 bilhões-->de importações só em setembro. Resultado deixou reduziu a média do superávit no ano-->6% de desempr ego-->foi o índice registrado pelo governo em a gosto e é o menor resultado da história da medição