Sigilo suíço migra para o Oriente

-->Milionários tr ocam a Eur opa por Cingapura para esconder suas for tunas e fugir dos impostos-->Lynnley Br owning-->THE NEW YORK TIMES-->P or séculos, a Suíça f oi o san - tuário dos milionários que busca - v am esconder suas f ortunas par a e v adir di visas. Agor a, em meio a uma ruptur a no sigilo bancário suí - ço , os ricos estão começando a v er Cingapur a e Hong K ong com bons olhos, já que estes locais ainda ofe - r ecem algumas das contas mais si - gilosas do m undo . Mas há um seg r edo sobr e essa mig r ação par a o Oriente. Mui - tos dos bancos que cr escem nes - ses oásis de baixas taxas têm pedig r ee suíço . E seus clientes não são apenas os milionários asiáticos, mas também ameri - canos e eur opeus que tentam fugir dos altos impostos dos seus próprios países. Bancos suíços, como o gigante UBS, e empr esas que copiam o modelo suíço estão tentando e xpandir suas oper ações na Ásia. – N ós temos um aumento mas- si v o na pr ocur a de bancos pri- v ados em Cingapur a e Hong K ong par a assumir contas que estão deixando a Suíça – disse Ra y- mond Bak er , dir etor do Instituto de Integ ridade F inanceir a Glo- bal, um g rupo de pesquisa ba- seado em W ashington. Nos últimos dois anos, o banco suíço UBS per deu algo em torno de U$ 200 bilhões em função dos clientes que decidir am tr ocar a Eur opa pela Ásia. No entanto , suas filiais no Oriente ganhar am mais dinheir o do que per der am, segundo uma apr esentação par a in v estidor es. – Nós c hamamos Cingapur a de nossa segunda casa – disse o por- ta-v oz do banco J ulius Baer , V o n- der Muehll. Ele também gar antiu que a empr esa planeja dobr ar seus in v estimentos na Cingapur a e em Hong K ong nos próximos cinco anos. – O estilo suíço é m uito bem visto na Ásia. Segundo o pr ofessor de política especialista em finanças da Uni- v e r sidade de Birminham, na In- glaterr a, o esf orço asiático lo go de v e r ender frutos. – T oda a e vidência le v a a cr er que Cingapur a está f az endo um g r ande esf orço par a substituir a Suíça co - mo o principal lar de bancos pri - v ados – a v aliou A queda do ser viço bancário suíço te v e início quando o De - partamento de J ustiça começou uma in v estigação criminal con - tr a o UBS na qual acusa v a o banco de ajudar clientes ame - ricanos a e v adir di visas. Naque - le ano , o banco te v e que pagar U$ 780 milhões par a encerr ar o caso , que também aca bou com o sigilo de mais de 4 mil clientes. Hoje, a Suíça aind aéop a - r aíso m undial de bens não de - clar ados, com cer ca de U$ 2 tri - lhões em contas bancárias. Mas, desde o embate entr e autori - dades americanos e a UBS, U$ 520 bilhões deixar am a Eur opa par a outr os países. – Minha impr essão é de que boa parte do dinheir o que saiu da Suíça f oi par a a Cingapur a – apontou o ad v o gado tributário da Caplin Drusdale, Da vid Ro - senbloom.