Emprego e renda vão bem. Mas os juros...

Economistas ainda acham que a taxa de juros está em patamar inadequado à conjuntura brasileira

A PESQUISA DA Federação do Comércio de Bens, Serviços eTurismo doEstado deSão Paulo (Fecomercio), divulga- da esta semana, é uma boa ba- liza para a futura presidente do Brasil, Dilma Rousseff, com relação aseus primeirosmo- vimentos nocampo daecono- mia. Osnúmeros mostramre- corde de otimismoquanto ao nívelde empregoe renda.E também insatisfaçãogrande dos economistas com a taxa de jurosea valorizaçãodoreal sobre o dólar A avaliação de emprego e ren- da brasileiroschegou aonível mais alto já registrado na série histórica doÍndice doSenti- mentodos Especialistasem Economia (ISE). O otimismo em relação aoprimeiro cresceu 8,52% na comparação entre ou- tubro e setembro, atingindo 155,4 pontos numa escala de 0 a 200 pontos – que denota otimis-

gistrou a menortaxa de juros para pessoa física desde 1994. O bomdesempenho destesindi- cadores foi determinante para a avaliação positiva quanto ao ní- vel de atividade interna – PIB, que obteve 167,5.Apesar do bomresultado nomercadona- cional, oISE permaneceupra- ticamente estável em relação a moquandoacima dos100.Já quantoaos saláriosreais, ooti- mismo subiu14,5% nomesmo período: 140,6 pontos. Esse otimismo nada mais é do que o reflexodas constantes elevações no nível de emprego e do incremento no salário real médio.Também influenciouo fácil acesso aocrédito, que re- setembro,registrando umali- geira melhora de 0,5% e fechan- do o mês em 108,3 pontos. Mas é bom Dilma ficar atenta também à avaliação da taxa de juros – que caiu 21% em relação aomêsanterior; jáaquedana avaliação do câmbio foi ainda maior, 41%– respectivamente, 56,7 e 58,5 pontos, demonstran- do forte insatisfação e a crença dos especialistas de que ambas estãoinadequadas àconjuntu- raeconômica. Osgastospúbli- cos continuam sendo o que mais preocupa os economistas e, em outubro, mais uma vez, restrin- giuaelevação doISEaoregis- trar 41,5 pontos. No entanto, a perspectiva pa- ra o ISE, de modo geral, é que as avaliações positivas alavan- quem o indicador até o fim do ano. Cabe aonovo governo manter as boas expectativas e cuidardo queaindadeixa aborrecidos os brasileiros.

Editorial