Tiriricas na Record

Helder Caldeira

ESCRITOR E ARTICULIST A POLÍTICO

Openúltimo r ound da disputa entr e Dilma Rousseff e J osé Serr a te v e como palco os estúdios da TV Recor d, na madrugada des - ta terça-feir a. Um de bate entr e pr esidenciáv eis mar cado par a as 23h de uma segunda-feir a é a definição meridiana de de - boc he. Isso sem f alar no tr ata - mento desr espeitoso com o te - lespectador , que te v e de atur ar quase 15 min utos de atr aso pa - r a o início do esper ado confr on - to . O de bate, com apr esenta - ção visi v elmente tensa do jor - nalista Celso F r eitas, terminou quase à 1h da manhã. Não bastasse isso , o que o elei - tor br asileir o te v e o despr az er de assistir f oi o maior filme de c hanc hada política da história da República pós-r edemocr ati - zação . Dilma e Serr a, bocas tor - tas e mãos trêm ulas, pr otago - nizar am uma palhaçada que conseguiu super ar os

pornode - bates

entr e Collor , Lula, Briz ola e Maluf no final da década de 80. Em definiti v o , o cir co de - sembar cou na disputa pr esi - dencial. Mas, se já temos até palhaço oficialmente eleito pa - r a a Câmar a dos Deputados, por que não mais um (ou uma) na Pr esidência da República? O de bate f oi um sho w de hor - r or es. F oi um tal de “Pr etobrás” e “P etr obr ax”; “ Administr ação penitenciária” sendo confundi - da com “ Administr ação pr e vi - denciária”; “Plé-Sal”; escândalo “P aulo Pr eto” vir ar pr econceito r acial; in v encionices sobr e inter - net banda lar ga já disponív el em 67% das escolas públicas (de que país?!); r egião Nor deste “cr es - cendo à taxas c hinesas”; menti - r as descar adas sobr e obr as ina - ca badas (ou nem iniciadas) e pr o g r amas não implementados; e uma c huv a de “se Deus quiser” que mais par ecia uma no v ena de paróquia do que um de bate en - tr e os dois candidatos. Quem v enceu o de bate da TV Recor d? Nenhum dos dois. Am - bos, Serr a e Dilma, só consegui - r am pr o v ar que a eleição do ago - r a deputado T iririca é mais que legítima. Afinal, que g r aça tem um cir co se só ti v er um palhaço? V i v a T iririca, o no v o modismo político nacional!