Editorial

O que falta para a polícia desvendar este crime?

É N A TURALe compr eensí - v el que qualquer polícia seja cautelosa e criteriosa na apu - r ação de um crime. Mas há al - gumas situações que são clar as e ób vias demais, e f az em com que a demor a na conclusão das in v estigações apar ente incom - petência em e xcesso ou má-fé. É o que v em acontecendo no Sin - dicato dos Motoristas e Cobr a - dor es de ônibus em São P aulo . O dir etor de base da entida - de, Sér gio A ugusto Ramos, f a - zia panfletagem às 5h30 da ma - nhã de segunda-feir a em fr ente à V iação Itaim P aulista, no J ar - dim Ângela, Zona Sul da capi - tal, quando f oi morto com cinco tir os por dois motoqueir os de capacete. Qualquer in v estiga - dor iniciante sa be que isso ca - r acteriza uma e xecução . Ramos ha via feito dois bole- tins de ocorrência sobr e supos- tas ameaças de morte que r e - ce bia de pessoas ligadas ao do que isso , o MPE tem inf or - mação de que outr as 12 pessoas ligadas ao sindicato f or am as - sassinadas antes que a atual in - v estigação f osse iniciada. J o r ginho deu entr e vistas du- r ante o dia de ontem e até ad- mitiu di v e r gências com a víti- ma – c hegou a diz er que f or a ofendido por Sér gio em uma r eunião no sindicato , mas que depois “ele r etomou suas ati- vidades na entidade”. A per gunta é: quantas pes - soas mais pr ecisarão morr er pa - r a que a situação do sindicato seja r esolvida, e os r esponsá - v eis pelas mortes que não têm mais v olta sejam punidos? A polícia de São P aulo te v e atuação de Primeir o Mundo no caso do assassinato da menina Isa bella Nar doni. E agor a, on- de os caminhos são quase tão clar os, mas há gente influente en v olvida no crime, de que m undo v ai ser a polícia? O sindicalista ha via den uncia - do ao Ministério Público Esta - dual esquema de desvio do sub - sídio pago pela Pr efeitur a r efe - r ente ao plano de saúde dos tr a - balhador es. O caso começou a ser in v estigado em 2008. “Essa é a segunda testem unha do caso que f oi assassinada”, disse o pr omotor Roberto P ortos. Mais

Já são 14 os mor tos envolvidos com o sindicato dos motoristas de ônibus de São Paulo

pr esidente do sindicato , Isao Hosoji, o J o r ginho . O sindica- lista – que integ rava a d i r etoria ha via um ano , mas er a eg r esso da oposição – g r a v ou um vídeo no qual acusa J o r ginho e o u- tr os dir etor es de corrupção e dizia que, caso algo lhe acon- tecesse, a r esponsa bilidade se- ria do pr esidente.