Editorial

-->Mudança na educação do Rio deve ser mais profunda-->OS NÚMER OS DO Índice de De- sen v olvimento da Educação Bá- sica (Ide b) mostr am a catastró- fica situação da educação no es- tado do Rio . Rece bemos uma e s- tr ondosa nota v ermelha (2,8), que nos deixa acima somente do Piauí no r anking da educação pública. A primeir a r eação do go v ernador Sér gio Ca br al f oi e xoner ar a se - cr etária T er eza P orto . É f ato que talv ez a administr ação pública, de um modo ger al, fun - cionasse melhor se os gestor es ti v essem me - tas rígidas a cumprir e soubessem que pode - riam pagar mais car o pela e v entual inefi - ciência. Mas, se a me - dida de Ca br al não f or apenas o início de uma r ef orma pr ofunda no sistema de ensino , ela terá o efeito n ulo que tem par a um time de fute bol a tr oca de técnico a cada derr ota. P ar a r esolv er o pr oblema do en - sino no estado , só f az endo uma r e - v olução na educação básica dos br a - sileir os e na pr epar ação dos pr o - fissionais de ensino , cuja baixa qua - lidade não é pri vilégio do Rio . M as seria uma boa medida par a, pelo menos, tir ar a educação da linha de miséria atual a adoção de uma po - lítica de v alorização do pr ofessor . F ica m uito difícil ministr ar um cur --->Editorial-->so de qualidade ganhando R$ 600 mensais, por 16 hor as semanais. Não é de hoje que o magistério do estado é o que mais míngua, atrás do m unicipal e do feder al. Além da questão financeir a, é pr eciso v alorizar a opinião dos mes - tr es, que sa bem melhor do que qualquer outr a pessoa quais as prioridades em uma escola. Isso se daria mais efeti v amente, por e xem - plo , se os pr ofessor es pudessem ele - ger os dir etor es de es - colas. Hoje, o magis - tério acusa o go v erno de permitir que de - putados estaduais in - diquem dir etor es. Mais que isso: secr e - tário de Educação de v eria ser pr ofessor , o que não é o caso do substituto de T er eza, W ilson Risolia, que tem um belo currículo de economista, com passagens pela Caixa Econômica e pelo RioPr e vidência. T omar a que dê certo no car go . A demissão de T e r eza P orto po- de ajudar , pelo menos, a e x-se- cr etária a r epensar a educação , já que ela sempr e e xibiu como feitos a distribuição de laptops a pr o- fessor es e a instalação de ar -con- dicionado nas salas. Duas boas medidas. Só que a educação do Rio pr ecisa m uito mais m udar o softw ar e do que o har d w ar e. -->Não adianta apenas tr ocar o titular da secr etaria, é pr eciso uma nova política educacional