Editorial

-->condenáv el em qualquer sociedade democrática do m undo . O dir eito de defesa, é bom J ohnn y sa ber , é gar antido a qualquer cidadão pela Constituição br asileir a. É assim que agem ditador es, gol - pistas, estelionatários, f alsários, c hantagistas e pr aticantes de jorna - lismo marr om. J ohnn y esquece-se de que sua emissor a é uma concessão pública do go v erno feder al, e, além de v ender irr esponsa v elmente o espaço par a questionáv eis pastor es e v angélicos, usa-a par a seus nojen - tos e condenáv eis fins pessoais. Concessão que per derá, se a em - pr esa f alir . J ohnn y Saad será cobr ado na J ustiça pa - r a r esponder pelos v er gonhosos atos do Grupo Bandeir antes, ag r a v ados pela r epetição de ataques na tele - visão a berta, na tele visão a ca bo e no seu desqualificado jornaleco . Resta ainda uma per gunta, que salta aos olhos em uma r eportagem que o -->J ornal do Brasil -->publica hoje. O que esper ar de alguém que, como J ohnn y , desr espeita o testamento deixado pelo próprio pai e, por isso , é acionado judicialmente por seus irmãos? J ohnn y Saad, assim, acata a céle br e definição feita pelo e x-deputado Clodo vil Hernandes: “É um ladrão”.-->É assim que agem golpistas, estelionatários e praticantes de jornalismo marr om-->Band e jornal ‘Metro’ sujam a liberdade de imprensa-->É IN A CREDITÁVEL,mas a Rede Bandeir antes, de f orma inescrupulo - sa, afr onta sua já r ar efeita cr edibi - lidade ao , r epetidamente, atacar em - pr esas concorr entes inter essadas em compr ar , via leilão judicial, r ede de fibr as óticas da TV Cidade, subsi - diária do g rupo afundada em dívidas estimadas em R$ 680 milhões. A r ede de equipamentos v ai a leilão par a cobrir inadimplência da emissor a. Ontem, pelo ter ceir o dia conse - cuti v o , a TV Bandei - r antes r equentou v e - lhas mentir as, calu - niou, dif amou e inju - riou o empr esário Nelson T an ur e, legal e legitimamente inte - r essado no negócio de fibr as óticas. F ez mais, a mando de J oão Car los Saad, vulgo J ohnn y , que se esquece de todos os princípios de r etidão e de liber dade de impr ensa, após ter dado um golpe m ultimilionário no mer cado em que atua. Negou o di - r eito de r esposta, mesmo com o em - pr esário pedindo e até compr ando espaço e tempo nos v eículos da Ban - deir antes par a se defender , em comportamento que lembr a os tem - pos da ditadur a e se assemelha aos ataques à liber dade de impr ensa que hoje acontecem na Ar gentina e na V enezuela. Sua empr esa f az cen - sur a prévia de an unciantes, f ato