Cia. Nuovo apresenta ópera 'As bodas de Fígaro' hoje, sábado e domingo em Niterói

Com texto adaptado de André Viéri e Cilene Guedes, direção musical de Edvan Moraes Jr. e cenografia de Alexandra Barcellos, a Cia. Nuovo, apresenta a ópera “As bodas de Fígaro”, de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), em Niterói. Vinculada ao Estúdio Voce (Voz, Corpo e Equilíbrio), a companhia encena esse clássico hoje, sábado e domingo no Teatro Municipal João Caetano, quase em frente à estação das barcas.

A temporada em Niterói é a segunda desta montagem neste ano, quando estreou em janeiro, na CAL (Casa de Artes de Laranjeiras), com récitas, entrada franca e lotação esgotada. “‘As bodas de Fígaro’ foi a primeira ópera que cantei fora da universidade e que abriu portas para minha carreira profissional. Acredito que a Cia. Nouvo vai alçar voos altos a partir dessa montagem, principalmente pelo desenvolvimento teatral e artístico que temos oferecido ao elenco”,  afirma Mirna Rubim, responsável pelo Estúdio Voce.

Nascido em Salzburgo, na Áustria, e radicado na Alemanha, Mozart escreveu, em 1786, “As bodas de Fígaro” – a 18ª de suas 22 óperas e uma das mais populares de toda a história deste gênero. Para muitos, trata-se da obra-prima de Mozart.

A ópera-bufa (cômica) satiriza os costumes da nobreza da época, com enredo ambientado no Castelo do Conde de Almaviva, próximo a Sevilha, na Espanha no ano anterior. É em suas dependências que se inicia a trama para o casamento de Fígaro e Susanna, servos do conde e da condessa, cuja harmonia é abalada pelo então vigente direito que determinava ao senhor desvirginar a noiva em sua noite de núpcias.

Fígaro questiona esse direito, que o próprio conde prometera abolir. No entanto, sua própria noiva duvida dessa abolição, dado o recorrente histórico do Conde de Almaviva de assédios sobre ela – que não parecia  se incomodar, pelo contrário.

Os quatro atos se desenvolvem em meio a casos de infidelidade, desencontros e acidentes, contados e cantados pelos onze personagens da trama.

Para os integrantes da companhia, o enredo da ópera escrita por Mozart há 232 anos remete à atualidade, com seu olhar irônico sobre abuso de poder e impunidade, representados pelas relações de casamento, nobreza e política no castelo.   

---------

SERVIÇO

AS BODAS DE FÍGARO

Teatro Municipal João Caetano. Rua XV de Novembro, 35, Centro, Niterói. Tel.: 2620-1624. De hoje a domingo, sempre às 19h. Ingressos a partir de R$ 20. Capacidade: 292 lugares. Classificação livre.