O revés do conquistador: confira crítica de 'De carona para o amor'

Jocelyn é um conquistador inveterado, no estilo antigo. Não preza muito as mulheres e só deseja romances rápidos. Em uma de suas investidas, ele até finge ser deficiente físico para conquistar a jovem vizinha de sua mãe. É com este personagem de comportamento completamente inaceitável nos dias atuais que o comediante francês Franck Dubosc estreia na direção de cinema na comédia romântica “De carona para o amor”.

As coisas começam a mudar para Jocelyn quando conhece Florence (Alexandra Lamy), irmã da vizinha Julie (Caroline Anglade), personagem que é realmente cadeirante e por quem vai se apaixonar. Também roteirista e protagonista da produção, Dubosc demora um pouco para achar o tom da história, andando sempre na corda bamba do aceitável do humor com um tema como a deficiência.

Há bons e leves momentos no filme, que poderia ser mais ousado se o diretor desse mais nuances a seus personagens e não optasse por extremos – a canalhice total de Jocelyn em contrapartida à quase perfeição de Florence –, fugindo do final previsível. Mas em tempos de raras boas ideias no gênero, o espectador não deve se assustar se vir essa mesma história adaptada em outras cinematografias, como já aconteceu com “Intocáveis” e outras comédias recentes.

*Jornalista 

____________

DE CARONA COM O AMOR: ** (Regular)

Cotações: o Péssimo; * Ruim; ** Regular; *** Bom; **** Muito Bom

____________