MIS lança vídeo sobre Nara Leão, com relatos e fotos da cantora que esteve na criação da Bossa Nova

Dos saraus em seu apartamento, onde se reuniam os fundadores, à popularização do estilo e sua combinação com outros gêneros, a história da Bossa Nova sempre teve entre suas imagens o rosto de Nara Leão. De expressões marcantes em contraste com sua voz suave, a cantora mais icônica do movimento é celebrada agora no Museu da Imagem e do Som (MIS).

Dentro de sua programação pelos 60 anos da Bossa Nova, o museu lança hoje, às 18h30, a “Homenagem a Nara Leão”, em vídeo inédito criado a partir de imagens exclusivas e depoimentos de pessoas importantes na vida da cantora, nascida em 1942, em Vitória (ES) e  morta em 1989, em decorrência de um câncer, no Rio, aos 47 anos.

O audiovisual produzido pela Galé Filmes tem relatos inéditos como os do músico Roberto Menescal, 81, primeiro namorado dela e do cineasta Cacá Diegues, 78, com quem foi casada por dez anos e teve dois filhos, Isabel e Francisco.

A foto do casamento é uma das que compõem o vídeo, assim como participações de Nara em musicais como “Liberdade, liberdade”, de Flávio Rangel e Millôr Fernandes, em 1965, um ano após seu primeiro disco solo.

“Essas fotos fazem parte do nosso acervo, doados pela família da Nara; o lançamento do vídeo, que as inclui junto com esses novos depoimentos são uma celebração da artista que, além de ser considerada a Musa da Bossa Nova, era bastante diversificada, cantando todos os gêneros”, ressalta a presidente do MIS, Rosa Araújo.

A versatilidade ficou clara na segunda metade dos anos 1960, quando Nara se juntou ao cantor e compositor Zé Kéti e seu samba tradicional, no histórico show “Opinião” e participou do álbum “Tropicália ou Panis et Circenses”, que lançou este outro movimento, além de se engajar em manifestações contra a censura imposta pela ditadura militar.

Além da exposição do vídeo, o MIS terá show com a banda Conexão Rio, que já tocou com João Bosco e o próprio Menescal – um dos outros homenageados do museu pelas seis décadas da Bossa Nova, assim como Joyce e o produtor Armando Pittigliani. Além de depoimentos já gravados, como os de Marcos Valle, Tom Jobim e Vinicius de Moraes, o MIS prepara outros relatos de bossanovistas, como da cantora Vanda Sá, recém-gravado, e do multi-instrumentista Bebeto Castilho.

__________

SERVIÇO

HOMENAGEM A NARA LEÃO. Museu da Imagem e do Som (Pça. Luiz Souza Dantas, 1 - Praça XV; Tel.: 2332-9520. Hoje, às 18h30. Entrada franca. Classificação livre.