Terça em dose tripla: Casas têm programação com repertórios jazzísticos

Ninguém precisa esperar o fim de semana para aproveitar shows com vertentes variadas e um pé no jazz. Em plena terça-feira, pelo menos três casas apresentam artistas de diferentes levadas, mas todos eles tendo o lado das improvisações em comum. 

Em Botafogo, a Audio Rebel apresenta o guitarrista baiano Paulo Mutti. Ele traz ao Rio de Janeiro show com músicas autorais, apresentando temas de seu primeiro álbum solo, “Quietude”, e músicas que o acompanham desde a infância em Santo Amaro da Purificação.

O disco “Quietude” traz espontaneidade criativa do guitarrista e de sua banda, em gêneros e estilos diversos a cada faixa, mas dá ênfase à improvisação. Além de guitarrista, Paulo Mutti se mostra compositor em músicas como “Samba é sacerdócio”, parceria com o poeta Gileno Felix que foi gravada por Aiace com participação de Luiz Melodia. 

A sonoridade do Recôncavo se mostra em uma mistura de samba de roda, chula e jazz em citações como “Refavela”, de Gilberto Gil, e “Reconvexo”, de seu Caetano Veloso.

O repertório do show também reúne canções como “Dans mon île”, de Henri Salvador – já gravada por Caetano – e “Deusa do amor” (Adailton Poesia e Valter Farias), que ganham novos timbres e texturas. 

A banda tem músicos cariocas e baianos: do Rio de Janeiro, Kassin, no baixo, e Joana Queiroz no clarinete e clarone; de Salvador, Ivan Huol na bateria e Orlando Costa na percussão. 

Mais cedo, no Méier, o Centro Cultural João Nogueira-Imperator recebe a cantora carioca Mariana Reis e seu quinteto, com entrada gratuita, no projeto Jazz Pras Sete. Em um shows de clássicos, ela canta sucessos de feras do jazz e do blues, como Billie Holiday, Ella Fitzgerald, Etta James, Frank Sinatra, Nina Simone e Ray Charles, mas que também passa por Madeleine Peyroux, Elis Regina, Elza Soares, Leny Andrade, Tom Jobim e Chico Buarque. O projeto faz parte de uma série realizada em uma terça-feira do mês no Imperator, sempre com apresentações musicais gratuitas. 

Já na Tijuca, acontece o Smoke Jazz, sob o comando de Guga Pellicciotti, no bar Smoke Lounge. Uma dos principais bateristas da cena de jazz do Rio de Janeiro nesta década, Guga se apresenta constantemente em locais que vão de casas chiques de shows ao chão da Praça Tiradentes, em frente ao Bar do Nanam, passando pela Pedra do Sal, na Zona Portuária; pelo São Quim, no Castelo; e pela Lapa. 

Além de se apresentar com seu trio, Guga Pellicciotti recebe convidados para jam sessions no palco do Smoke Lounge, que realiza seu evento jazzístico das terças-feiras entre 18h a meia-noite.

No repertório do baterista, além de jazz strictu sensu, como Dizzy Gillespie, não faltam referências ao samba-jazz, como o do Milton Banana Trio, e a outros estilos da música brasileira, como o choro, além do funk de James Brown. 

__________

Serviço 

PAULO MUTTI - Audio Rebel. Rua Visconde da Silva, 55 - Botafogo. Tel.: 3435-2692. Às 20h. Entrada: R$ 20. 

MARIANA RESI QUINTETO - Imperator. Rua Dias da Cruz, 170 - Méier. Tel.: 2597-3897. Às 18h50. Entrada franca.

GUGA PELLICCIOTTI - Smoke Lounge. Rua Ibituruna, 8 - Tijuca. Tel.: 3197-1975. A partir de 18h. Entrada: R$ 5.