Teorias da estética revelam a fórmula da beleza

Por que consideramos a Mona Lisa como uma beleza atemporal? Por que cultuamos as estátuas gregas como exemplos de beleza perfeita? Por uma questão matemática, como já anunciava Leonardo Da Vinci, criador de estudos como o Homem Vitruviano ou a própria Gioconda, a Mona Lisa. Estas teorias estéticas têm sido desenvolvidas até hoje e em instituições de respeito, como a Medical School de Harvard. 

Para a dra. Bruna Bravo, que depois da especialização na Santa Casa atua como professora na área da cosmiatria, área da dermatologia que trata da estética, o assunto gera palestras, cursos e livros onde os rostos masculinos e femininos são analisados segundo pesquisas com voluntários no mundo inteiro.

“A beleza pode ser resumida em duas palavras: simetria e harmonia. É um conceito primitivo, instintivo, que significa falta de doenças, capacidade de reprodução e de trabalho. Até hoje, ficar ou ser bonito é importante. A referência ainda segue padrões como os estabelecidos por Leonardo Da Vinci ou as proporções áureas”, comenta a médica, que acrescenta a beleza renascentista como um ícone de perfeição. 

Quem busca esta beleza no consultório teme que haja padronização. Pelo contrário, porque as medidas e proporções pertencem a cada indivíduo. Quem estudou Desenho em uma Faculdade de Belas Artes aprendeu exatamente a mesma coisa, pelo aspecto gráfico. Linhas traçadas ao longo dos rostos repetem a largura dos olhos, o limite dos lábios, o comprimento do nariz. 

“Na consulta, as medidas dividem o rosto em três faixas horizontais. Nas mulheres, há um triângulo com a base na altura dos olhos e a ponta no queixo. Nos homens, pela ação da testosterona, a mandíbula é mais larga, forma um quadrado do nariz ao queixo. No sentido vertical, são cinco partes iguais, a unidade será o olho, que deve se repetir cinco vezes.  O tamanho do nariz corresponde à distância da boca ao queixo. De perfil, o quinto central é projetado para a frente.” completa Bruna.

Mais jovem, como? 

Mais do que corrigir formas, a grande procura atualmente é pelo rejuvenescimento. Neste ponto, um dado surpreendente: primeiro, busca-se o tratamento menos invasivo, com os novos equipamentos que vão sendo aperfeiçoados pela própria demanda - os médicos pedem, por exemplo, que determinado aparelho tenha um refinamento, um diâmetro reduzido, para ficar mais eficiente. A textura da pele se transforma com laser de CO2, a flacidez se atenua com ultrassom microfocado, a criolipólise ataca a gordura localizada, o laser de lipo funciona nas papadas. O corpo também se trata, o laser para a área ginecológica melhora a incontinência urinária e o ressecamento. O botox, que celebra 20 anos de aplicações, não deve só tratar rugas, é para melhorar a expressão, tira o jeito negativo do ar de cansaço ou de zanga. O ácido hialurônico, que faz parte da pele, lidera os preenchimentos. 

Mas as proporções e as medidas ideais se alteram com o tempo, a partir dos 30 anos. A causa não é a gravidade, a perda do contorno se deve à perda da estrutura óssea. Ela também abaixa a ponta do nariz, deforma o queixo e forma a papada. A boca encolhe e afunda, pela mesma razão. “Em lugar de aumentar os lábios, renova-se a moldura da boca”, explica Bruna, que existe sim, o medo de ficar transformada depois de uma intervenção. “O problema é a insatisfação em frente ao espelho, não é não se assumir na idade. Há o desejo de a imagem condizer com a sensação. “

Melhora mais tarde 

Enquanto os aparelhos e injeções resolvem a equação da beleza, a cirurgia plástica completa o resultado. Claro que a clientela tem suas preferências, nem sempre sensatas. Segundo o dr. Leonardo Bravo, não há receita de bolo. “Vistas as proporções, avaliam-se as necessidades distintas de cada pessoa. Mostro até onde é possível ir. Boca de Angelina Jolie? Ok, se couber no rosto, de acordo com a matemática das proporções. Afinar um nariz afro? É possível, se a pessoa pedir, dentro do padrão individual. Um dos temas de um congresso na China foi a obsessão das chinesas em ter têmporas abauladas, porque há a crença que este formato oferece um casamento melhor.” 

São números, medidas e proporções. O que impressiona no final é o número 80. Esta é a idade em que atualmente a cirurgia plástica resolve a insatisfação com a beleza feminina e masculina.  Por enquanto, convém conferir as medidas do rosto, régua na mão, em frente ao espelho.