'Vivemos um leviatã burocrático', diz ministro da Cultura durante evento em SP

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, afirmou nesta quinta-feira, 29, que o Brasil vive um "leviatã burocrático" com o excesso de burocracia no Estado. "Precisamos fazer uma reforma do Estado", afirmou, em cerimônia na capital paulista para relançamento do programa Pontos de Cultura, que oferece incentivo financeiro a grupos culturais.

O programa foi criado durante a gestão de Gilberto Gil no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e estava desativado há cinco anos. A reativação, segundo a pasta, selecionará 544 iniciativas culturais no Estado, onde o investimento é de R$ 12 milhões do governo federal e R$ 3 milhões do governo estadual como contrapartida. O edital será lançado "em breve", segundo o Ministério.

A novidade, segundo o ministro, é que 144 instituições receberão uma premiação no valor de R$ 60 mil e 400 receberão um kit audiovisual ou musical. "Iniciamos aqui em São Paulo uma nova era nesse programa tão importante, que traz resultados tão positivos e que vai gerar ainda mais resultados agora", disse Leitão.

O programa foi criado pela Política Nacional Cultura Vida. "Estamos vencendo todos os obstáculos da burocracia para chegar até aqui", reforçou o ministro, que participa da cerimônia no prédio da Secretaria de Estado da Cultura, ao lado do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Leitão declarou ainda que, na Cultura, o governo está "operando no azul". "A cultura retorna ao Estado muito mais do que recebe dele na forma de recursos e incentivos fiscais", afirmou.

Além disso, o ministro declarou que continua na pasta "até 31 de dezembro" e que não deve sair do cargo na reforma ministerial.