Roma desiste de ficar com moedas da Fontana di Trevi

Ao menos por este ano, dinheiro continuará indo para a Caritas

A Prefeitura de Roma, comandada por Virginia Raggi, do partido antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), voltou atrás na decisão de se apropriar das moedinhas jogadas por turistas na Fontana di Trevi.

Segundo fontes do governo municipal, o dinheiro retirado diariamente das águas da fonte eternizada por Anita Ekberg em "La Dolce Vita" continuará sendo administrado pela Caritas, organização beneficente da Igreja Católica, ao menos até o fim de 2018.

Em outubro, um memorando da Prefeitura estabelecera que as moedinhas deviam ser "internalizadas", ou seja, integradas ao orçamento municipal, a partir do próximo dia 1º de abril. O objetivo seria destinar os recursos, estimados em mais de 1 milhão de euros por ano, para ações de caridade.

As moedas são recolhidas todos os dias por voluntários da Caritas e usadas para financiar ajudas a sem-teto. A entidade ainda conta com o auxílio de casas de câmbio para trocar todos os tipos de divisas - dólares, rublos, ienes e até reais - por euros.