Bienal apresenta composições inéditas da música de concerto contemporânea

A produção recente e inédita dos compositores brasileiros de música clássica está sendo apresentada esta semana na 22ª Bienal de Música Brasileira Contemporânea, aberta na noite de segunda-feira (23) no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Até domingo (29) serão executadas pela primeira vez, em concertos diários, 61 peças inéditas – 15 de compositores convidados e 46 selecionadas pelo Prêmio de Composição Clássica 2016 da Fundação Nacional de Artes (Funarte).

No concerto de segunda-feira, a Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense (UFF) executou as obras de Ernani Aguiar, Ronaldo Miranda, Liduíno Pitombeira, Paulo Costa Lima, Eli-Eri Moura e Marlos Nobre. Nos outros dias, a Bienal se deslocará para a Sala Cecília Meireles, parceira do evento desde o seu início, em 1975. O horário dos concertos é às 19h, exceto no encerramento, marcado para as 17h.

"A Bienal tem esse caráter de ser uma grande mostra, um grande espelho do que está acontecendo de significativo a cada dois anos na música brasileira de concerto", disse o diretor do evento, José Schiller, que também é coordenador de música de concerto da Funarte, em entrevista ao programa Antena MEC FM, da Rádio MEC FM da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Ele contou que a seleção foi feita a partir de 140 obras enviadas pelos compositores.

As obras selecionadas abrangem vários estilos, desde a música orquestral à eletroacústica. Realizada pelo Centro de Música da Funarte, o evento ocorre em parceria com a Academia Brasileira de Música (ABM) e apoio do Ministério da Cultura. A programação está disponível no site do evento.

Este ano, a Bienal faz homenagens in memoriam a três nomes do universo musical que morreram em 2017: os compositores Sergio Roberto de Oliveira (1970/2017) e Olivier Toni (1926/2017), e o embaixador Vasco Mariz (1921/2017), historiador, musicólogo e pesquisador da música brasileira. Há ainda uma homenagem especial a Flávio Silva, cuja atuação está vinculada às Bienais de Música Contemporânea.