Cinemaneiro - Qual pequena atitude posso tomar para o meu benefício e o benefício do meu lugar?

Nova edição do Projeto começou nesta terça-feira, 18 de abril

Estimular e despertar o interesse dos jovens pela arte do cinema através da participação em projetos culturais dentro e fora de suas comunidades, usando a linguagem como manifestação artística para a reflexão social.

Esse sempre foi um dos objetivos do Cinemaneiro, desde a sua primeira edição, há 15 anos. De lá para cá, muita coisa mudou no mundo todo, principalmente na tecnologia, e com o projeto não foi diferente.

Neste ano de 2017, o trabalho é em cima do audiovisual focando nas temáticas socioambientais através dos filmes que serão produzidos durante as oficinas, que serão realizadas dentro de três comunidades, localizadas próximas à via expressa.

Realizado pela Associação Cidadela – Arte, Cultura e Cidadania através de Lei Municipal de Incentivo do Rio de Janeiro, o projeto sociocultural vai organizar a partir desta terça-feira, 18 de abril, durante dois meses, nas comunidades da Maré, Cidade de Deus e Del Castilho, para jovens e adultos, a partir de 13 anos, aulas gratuitas, práticas e teóricas de linguagem cinematográfica, câmera, som, edição e produção.

Entre os professores, está um dos idealizadores do Cinemaneiro, Frederico Cardoso, também coordenador executivo do Tempo Glauber, centro cultural criado em homenagem ao renomado cineasta Glauber Rocha.

“A micropolítica do bem é o foco dessa edição. Através das produções dos curtas, vamos realizar ações que proporcionem melhorias nas comunidades, a partir de problemas e soluções apontados pelo grupo. São pequenos gestos e atitudes conscientes que redundam num resultado positivo. O audiovisual é amplamente utilizado como ferramenta de diagnóstico socioambiental e é um ótimo recurso para isso, explica Frederico. Além dele, Felipe Cataldo também será instrutor das aulas, assim como a geógrafa Isis Perdigão e a historiadora Manuela Coimbra, as facilitadoras de temáticas socioambientais.

Em 18 comunidades de favela, mais de 1200 jovens e adultos já participaram das oficinas, que oferecem introdução à realização audiovisual. Desde então, para muitos daqueles que encontraram no audiovisual uma possibilidade de mundo de trabalho, foi um início de percurso a caminho da profissionalização.

“É muito bom saber que esses jovens tiveram um encontro que será para toda a vida, com aquilo que amam fazer e que eles cresceram em conhecimento e experiência. Tem muita gente competente que a gente teve a sorte e o prazer de conhecer ao longo do Cinemaneiro e que hoje, graduados, são excelentes profissionais, não só do cinema, mas também da comunicação, do marketing e de áreas correlacionadas e que tiveram o projeto como início de tudo. Nesse sentido, houve um grande impulso de vida e carreira para esses jovens através do PROUNI e do sistema de cotas nas universidades”, diz Viviane Ayres, uma das idealizadoras, ao lado de Frederico Cardoso.

O projeto irá culminar numa sessão de filmes aberta ao público.

Oportunidade em que a família, amigos e o público em geral, poderão assistir aos filmes realizados pelos participantes e primeira experiência deles, como realizadores, em contato com o público.

Serviço: Projeto Cinemaneiro 2017

Realização: Associação Cidadela – Arte, Cultura e Cidadania

Mais informações e inscrições:

httpss://www.facebook.com/Cinemaneiro

Telefone: (21)2225-7568

Whatsapp: (21)98881-2832

Aulas

Maré – terças e quintas, das 15h as 18h

De 18 de abril a 20 de junho

Local - Maré - CPOR - Centro de Preparação dos Oficiais da Reserva

Inscrições já encerradas

Cidade de Deus – segundas e quartas, das 15h as 18h

De 08 de maio a 05 de julho

Local - Capela Nossa Senhora Aparecida – Área dos Apes

Inscrições abertas