Coletivos do Morro da Providência lançam ação para unificar programas sociais com cortejo cultural 

A iniciativa Entre o Céu e a Favela cataloga e une projetos da Providência

O ditado ‘a união faz a força’ está sendo levado ao pé da letra por produtores culturais dos morros da Providência e do Pinto: procurando fortalecer seus projetos, eles lançam no próximo dia 28 a nova fase do Projeto Entre o Céu e a Favela, que unificará as ações já existentes. A iniciativa foi idealizada Cintia Sant’Anna e Monica Saturnino, moradoras da Providência, produtoras culturais e sócias da Colombina Realizações (associação cultural voltada para instrumentalizar projetos culturais). O Entre o Céu e a Favela conta com o patrocínio da Light e da Secretaria de Estado de Cultura, através do Edital Favela Criativa.

O cortejo cultural é a forma que os produtores culturais encontraram para mostrar ao morro as ações que desenvolvem, e para fortalecer os coletivos locais. A concentração será na Epicentral, (Ladeira do Farias 88, às 16h, seguindo até a Ladeira do Barroso, em direção a Praça Américo Brum, dando a volta no teleférico e descendo a Ladeira do Farias novamente, chegando na Quadra da Brinks (em frente ao Epicentral, na Ladeira do Farias). “Lá, soltaremos balões brancos, que vamos sugerir aos moradores que também o façam. Será um cortejo com os grupos culturais e sociais do morro e vamos convidar os moradores em geral, porque a ideia é um intervenção cultural a favor da paz”, cita Cintia.

“O importante é unir os projetos, e deixar claro nossa dificuldade de fazer cultura na favela onde moramos, já que estamos em um momento muito delicado”, acredita Cintia, sobre as intervenções programadas para o lançamento do Portal Entre o Céu e a Favela, que acontece no mesmo do cortejo cultural. O website divulgará e apoiará projetos de arte, cultura e desenvolvimento social realizados nos morros da Providência e do Pinto. “O portal vai divulgar os projetos já existentes na comunidade e incentivar a criação de novos, além de fomentar ações, buscar, registrar e valorizar a história da primeira favela do Brasil, o Morro da Providência”, enaltece Cintia. “também vamos oferecer suporte burocrático aos empreendedores culturais locais. A ideia é fortalecer a criação de uma rede”, afirma.

Segundo Cintia, o diferencial do projeto é ter nascido na favela e ser destinado a quem já produz Cultura na favela, não sendo uma intervenção de entidades de fora do morro, como acontece em outros lugares: “O Entre o Céu e a Favela vai direto ao ponto quando o assunto é entender o que a favela e seus produtores culturais realmente precisam.”