Espetáculo "Paco e o Tempo" retorna ao Centro Cultural Justiça Federal 

Uma reflexão para crianças e adolescentes

Já se perguntou por que o tempo passa? Por que ele passa? Por onde? Os mistérios do tempo impulsionaram o pequeno Paco, de sete anos, a se aventurar em uma jornada poética e divertida em busca de respostas e levará o público, mais uma vez, a mergulhar no universo de encanto da peça “Paco e o Tempo”. 

A convite do Centro Cultural da Justiça Federal a peça, que estreou dia 5 de novembro e encerrou 18 de dezembro, vai estender suas apresentações para o próximo ano. Serão mais seis apresentações, três sábados e domingos, às 16 horas, que irão do dia 14 ao 29 de janeiro de 2017.

A montagem do grupo Gestopatas trouxe um texto da atriz Cecíilia Ripoll que está estreando como diretora e autora, contudo, já foi premiada no III Concurso Jovens Dramaturgos 2013 do Sesc. A peça encantou não apenas crianças e adolescentes lhes oferecendo uma nova visão da reflexão teatral como também agradou as críticas teatrais. Como foi o caso da página Botequim Cultural:

“Não é mero acaso que diretora Cecília Ripoll e seus atores Ademir de Souza e Tania Gollnick venham apresentando nos últimos anos outro interessantíssimo trabalho com identidade própria na Companhia do Gesto, como o que pude presenciar este ano em “A Cozinheira, o Bebê e a Dona do Restaurante”. Forma-se assim um núcleo artístico que se preocupa em desenvolver um pensamento de teatro infantil através de um processo que passa a sensação de estar em permanente construção, experimentando, ousando, expandindo seus limites e jamais fechando-se numa fôrma. As comparações entre ambos os trabalhos talvez não sejam pertinentes, pois utilizam recursos diferentes, assemelhando-se apenas na opção pela originalidade para apresentar um trabalho de inegável qualidade.”, elogiou a crítica.

A ideia de falar sobre o tema surgiu em 2013, quando a atriz Cecília Ripoll fez uma substituição, às pressas, na  peça “A cozinheira, o bebê e a dona do restaurante”. Na época, com a intensidade dos ensaios Cecília teve a sensação de como tempo variava de acordo com a expectativa de cada um. De lá pra cá, ela começou a trabalhar a ideia. Em 2014, criou o grupo Gestopatas, com Tania Gollnick e Ademir de Souza.

Cecília dirigiu a primeira peça “Pareidolia – depois do fim”, que combinava várias linguagens, numa encenação em que as máscaras teatrais foram construídas a partir de objetos de uso cotidiano. A peça teve ensaio aberto em curta temporada no teatro Cacilda Becker.  Agora, o grupo realiza o primeiro espetáculo “Paco e o tempo”, cujo texto foi premiado no III Concurso Jovens Dramaturgos 2013 do Sesc, e contou com grupo de jurados, entre eles, a dramaturga Renata Mizrahi, que também escreveu o prefácio de “Paco e o Tempo” para a edição promovida pelo concurso.

“Paco e o tempo”, já teve uma montagem por alunos da Universidade Federal da Bahia (UFBA) no final do ano passado.