Ciclo de homenagens a Ermanno Stradelli começa em SP

Mostra fotográfica acontecerá até 17 de novembro

Para celebrar os 90 anos de morte do conde italiano Ermanno Stradelli, um dos pioneiros na difusão da Amazônia pelo mundo, o Istituto Italiano di Cultura realizou nesta quinta-feira (6) a abertura de um "Ciclo de Homenagens", na Oficina Cultural Casa Mário de Andrade, em São Paulo.   

Com o intuito de recordar a figura do "viajante aventureiro", as homenagens incluem a mostra fotográfica "Nos passos de Stradelli. Viagem à Amazônia", de Graziano Bartolini, e o lançamento do livro "A única vida possível. Itinerários de Ermanno Stradelli na Amazônia", organizado por Lívia Raponi e pela Editora Unesp.   

"Tudo está ligado a uma dimensão de sentimento. É uma homenagem verdadeira e eu espero que, de algum lugar, o Stradelli sinta", ressalta Livia Raponi, vice-diretora do Istituto Italiano di Cultura de São Paulo e organizadora da obra.   

O livro narra como a vida de explorador de Stradelli chegou a ser a única possível para ele. "A trajetória dele em si é extremamente importante. Uma trajetória única muito diferente da dos seus contemporâneos", completa ela à ANSA.   

Em parceria com a Editora Unesp, a publicação ilustra vários perfis do italiano e compreende ensaios inéditos de especialistas brasileiros e italianos.   

"Foi um prazer levar adiante uma publicação como essa. Stradelli é tão apaixonante que apaixonou", diz Jézio Gutierre, presidente da Editora Unesp.   

Por sua vez, a exposição fotográfica reúne uma seleção de imagens produzidas pelo próprio conde ao longo de suas expedições pelo interior da floresta Amazônica entre 1880 e 1900.   

Originário de Piacenza, no norte da Itália, Stradelli foi explorador, fotógrafo e etnógrafo. "Ele como cartógrafo teve uma grande importância geral para se descobrir a Amazônia e os povos indígenas", completa Angélica Angelo, educadora da Oficina Mário de Andrade.   

O local escolhido também tem relação com o italiano, já que o escritor Mario de Andrade, que é o patrono da Casa Cultural, também fez pesquisas etnográficas e sobre mitos indígenas na época em que escreveu o livro "Macunaíma".   

"Cumpre a função de trazer à luz essa pesquisa que o Mário fez e terá um grande diálogo com a exposição do Stradelli", afirmou à ANSA Marcelo Tupinambá, coordenador da Oficina Mário de Andrade.   

Com entrada gratuita, a mostra acontece até 17 de novembro, na Casa Mário de Andrade, localizada na Barra Funda, em São Paulo.