Brasil, Chile, Argentina e Espanha dão tom latino a festival

Brasil, Chile, Argentina e Espanha terão uma presença significativa na 69ª edição do Festival de Cannes, que acontece entre 11 e 22 de maio, em que Kléber Mendonça Filho concorrerá pela Palma de Ouro, assim como Pedro Almodóvar, enquanto Pablo Larraín e Alejandro Jodorowsky estarão na Quinzena de Produtores.

Sem dúvida, o retorno mais esperado é o do espanhol Pedro Almodóvar, que levará Julieta , retornando ao festival francês cinco anos após ter apresentado, também em competição, A pele que habito .

É o quinto longa-metragem que o cineasta espanhol apresenta em competição no festival francês, onde estreou em 1999 com Tudo sobre minha mãe , quando ganhou o prêmio ao Melhor Diretor.

Na luta pela Palma de Ouro, o promissor diretor brasileiro Kléber Mendonça Filho concorrerá com Aquarius , estrelado por Sonia Braga.

Também na seleção oficial, embora fora de competição, estará o espanhol Albert Sierra, que se atreveu a levar à tela A morte de Luis XIV , um dos monarcas mais icônicos da França, com uma gigante da interpretação de Jean-Pierre Léaud na pele do Rei Sol.

O ator Javier Bardem estará nas telas dirigido por Sean Penn e fazendo par com Charlize Theron em The last face , um drama sobre trabalhadores humanitários na África.

Na Quinzena de Produtores, dois consagrados produtores chilenos, Pablo Larraín e Alejandro Jodorowsky, exibirão seus últimos trabalhos.

Larraín levará sua esperada visão de Neruda , onde narra um período pouco conhecido da vida do poeta chileno, quando foi perseguido pelo governo de Augusto Pinochet. Luis Gnecco interpreta Neruda, e o mexicano Gael García Bernal Oscar Peluchoneau, o detetive que realizou a investigação.

Já Jodorowsky promete surpreender de novo com Poesia sem fim , filme que completa A dança da realidade , já exibido em Cannes, e protagonizado por Leandro Taub.

Também na Quinzena estreará o curta brasileiro Abigail , de Isabel Penoni e Valentina Homem.

A Argentina contará com os jovens Francisco Márquez e Andrea Cabeza na seção Um Certo Olhar, com A longa noite de Francisco Sanctis , uma obra dramática ambientada na Argentina do ditador Videla.

Os curtas Timecode , do espanhol Juanjo Giménez; Madre , do colombiano Simón Mesa Soto, e A moça que dançou como o diabo , do brasileiro João Paulo Miranda, completam a presença latina nas diferentes seções do festival.

E em uma sessão especial será exibido Hands of Stones , sobre a vida do lendário boxeador panamenho Roberto "Mão de Pedra" Durán, protagonizado por Edgar Ramírez e com Robert de Niro como seu treinador, Ray Arcel.

O filme, que servirá para homenagear De Niro, é dirigido pelo venezuelano Jonathan Jakubowicz.