Espetáculo "Dançar (não) é preciso" estréia dia 15 no Teatro Cacilda becker

Em sua nova criação, que estreia para o público no dia 15 de abril, no teatro Cacilda Becker, com patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, a Esther Weitzman Companhia de Dança conversa com a pintura, nomeadamente a de Jackson Pollock. Dançar (não) é preciso, título que parafrasea às avessas o grande poeta português, consolida no quadro da dança nacional a expressiva atuação da Companhia, que em 2016 completa 17 anos de trabalho continuado.

Dirigida pela coreógrafa Esther Weitzman, a Companhia chancela esta criação com um novo elenco composto por seis jovens bailarinos convidados, enquanto seus integrantes apresentam o premiado Jogo de Damas (2013), seu penúltimo trabalho, em outras cidades. Cada bailarino, uma singularidade entendida como princípio e fim do dançar – compromisso ético de Esther aprendido de sua mestra Angel Vianna cuja herança a coreógrafa exerce diariamente nos seus 30 anos de atividade como educadora do movimento.

Dançar (não) é preciso é realizado a partir do prêmio Viva a Arte! 2015 do Programa de Fomento a Cultura Carioca da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro.

Após a temporada no Teatro Cacilda Becker (15 de abril a 1º de maio), Dançar (não) é preciso será apresentado no Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro (7 a 29 de maio) e no Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto (18 a 27 junho).

 

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais